Ana Maria Miranda

ana_miranda_escritora_brasileira

Ana Maria Nóbrega Miranda nasceu em Fortaleza, no dia 19 de agosto de 1951. Após o nascimento, segue com a família para o Rio de Janeiro e aso cinco anos de idade, segue para Brasília. De 1969 a 1999, volta a viver no Rio onde estuda pintura com artistas plásticos como Roberto Magalhães e Rubens Gerchman e inicia a carreira de escritora. Em 2001 muda-se para São Paulo.

Enquanto estava casada com o ator Arduino Colasanti, trabalhou em filmes do cinema novo brasileiro entre 1971 e 1979. Dirigiu o Instituto de Artes da Funarte e foi editora chefe dessa instituição, entre 1977 e 1983.

Recebeu formação na área de artes plásticas, cursando o Instituto Central de Artes da Universidade de Brasília. Como desenhista, ilustrou as capas de seus livros. Teve formação literária com o escritor Rubem Fonseca, entre 1979 e 1989.

Em 2006 voltou a morar no Ceará e passou a escrever quinzenalmente para o Jornal O Povo.

Estreou como escritora, com as poesias de “Anjos e demônios”, de1978 e “Celebrações do outro”, de 1983. Em 1989 lança “Boca do inferno”, na linha do resgate ou reinvenção da história e que tem como tema a cidade da Bahia do século XVII, e como protagonistas o poeta Gregório de Matos e o jesuíta Antonio Vieira. O romance foi traduzido em vários países como Suécia, Dinamarca, Holanda, Argentina, Noruega, Itália, Estados Unidos, Espanha, França, Inglaterra, Alemanha. Este livro lhe rendeu o Prêmio Jabuti, Revelação, em 1990. Boca do Inferno foi incluído na lista dos cem maiores romances em língua portuguesa do século XX, elaborada por escritores, intelectuais e críticos brasileiros e portugueses, publicada no caderno Prosa & Verso do jornal O Globo em 5 de setembro de 1998.

Em 1991 publica o romance “O retrato do rei”, situado no ciclo do ouro em Minas Gerais. Em 1995, “A última quimera”, que tem o poeta Augusto dos Anjos como tema central do romance. Em 1996, publica “Desmundo”, que trata da história de órfãs que vinham de Portugal para casarem-se com os colonos no Brasil. Este romance foi adaptado para o cinema em 2002, com o mesmo título, pelo cineasta Alain Fresnot. No mesmo ano a autora publica a novela “Clarice”, com Clarice Lispector como personagem. No ano seguinte o romance “Amrik” revive a saga de imigrantes árabes recém-chegados em São Paulo, no final do século XIX. Em 2002 publica “Dias & Dias”, romance que tem o poeta Gonçalves Dias como tema. Em 2009, o romance “Yuxin – alma”, de tema indígena, acompanhado de CD com músicas indígenas de Marluí Miranda, sua irmã. Em 2014 publica o romance “Semíramis”, que tematiza o escritor José de Alencar. É romancista de linguagem e fabulação. Foi escritora visitante em diversas universidades estrangeiras, como Stanford, Yale, Berkeley, nos Estados Unidos, e Tor Vergata, na Itália. Realiza palestras em instituições de ensino e culturais. Foi colaboradora da revista Caros amigos, colunista do Correio Braziliense, e escreve no Jornal O Povo, em Fortaleza. Recebeu em 2015 o título de Doutor Honoris Causa da Universidade Federal do Ceará.

Prêmios e reconhecimento
1990 – Prêmio Jabuti, Revelação de romance, com Boca do Inferno
1994 – Prêmio da Biblioteca Nacional, para A última quimera
2003 – Prêmio Jabuti – com o romance Dias & Dias
2003 – Prêmio da Academia Brasileira de Letras, Romance, com Dias & Dias
2009 – Sereia de Ouro, pela obra
2010 – Green Prize of the Americas, com Yuxin
2014 – Prêmio Bienal do Livro de Brasília (segundo lugar) para O peso da luz
2015 – Prêmio da Academia Brasileira de Letras – Ficção, para Musa Praguejadora

Livros publicados
Anjos e Demônios (poesia), José Olympio Editora/INL, Rio de Janeiro, 1978;
Celebrações do Outro (poesia), Editora Antares, Rio de Janeiro, 1983;
Boca do Inferno (romance), Editora Companhia das Letras, São Paulo, 1989;
O Retrato do Rei (romance), Companhia das Letras, São Paulo, 1991;
Sem Pecado (romance), Companhia das Letras, São Paulo, 1993;
A Última Quimera (romance), Companhia das Letras, SP, 1995;
Clarice (novela), Companhia das Letras, São Paulo, 1996;
Desmundo (romance), Companhia das Letras, SP, 1996;
Amrik (romance), Companhia das Letras, SP, 1997;
Que seja em segredo (antologia poética), Editora Dantes, Rio, 1998;
Noturnos (contos), Companhia das Letras, São Paulo, 1999;
Caderno de sonhos (diário), Editora Dantes, Rio, 2000;
Dias & Dias (romance), Companhia das Letras, SP, 2002;
Deus-dará (crônicas), Editora Casa Amarela, São Paulo, 2003;
Prece a uma aldeia perdida (poesia), Editora Record, São Paulo, 2004;
Flor do cerrado: Brasília (infanto-juvenil), Companhia das Letrinhas, São Paulo, 2004;
Lig e o gato de rabo complicado (infantil), Companhia das Letrinhas, São Paulo, 2005;
Mig, o descobridor (infantil), Editora Record, Rio de Janeiro, 2006;
Tomie, cerejeiras na noite (infanto-juvenil), Companhia das Letrinhas, São Paulo, 2006;
Lig e a casa que ri (infantil), Companhia das Letras, 2009;
Yuxin – alma (romance), Companhia das Letras, São Paulo, 2009;
Carta do tesouro (infantil e adulto), Armazém da Cultura, Fortaleza, 2010;
Mig, o sentimental (infantil), Editora Record, Rio, 2010;
Carta da vovó e do vovô (infantil e adulto), Armazém da Cultura, Fortaleza, 2012;
O peso da luz, Einstein no Ceará (novela), Armazém da Cultura, Fortaleza, 2013;
Como nasceu o Ceará? (infantil) Edições Demócrito Rocha, Fortaleza, 2014;
Semíramis (romance), Companhia das Letras, São Paulo, 2014;
Musa Praguejadora, a vida de Gregório de Matos (biografia), Record, 2014;
Menina Japinim (infantil), Companhia das letrinhas, 2014.

Trabalhos como atriz
A Rainha do Rádio (1979)
O Princípio do Prazer (1979)
Crônica de um Industrial (1978)
Na Ponta da Faca (1977)
Padre Cícero (1976)
A Lenda de Ubirajara (1975)
Ovelha Negra (1974)
O Capote (1973) (TV)
A Faca e o Rio (1972)
Amor, Carnaval e Sonho (1972)
Mãos Vazias (1971)

Fonte: Wikipédia

Jaqueline Aragão Cordeiro

Author: Jaqueline Aragão Cordeiro

1 thought on “Ana Maria Miranda

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *