Decifrando o Cearês

Mandioca ou Macaxeira

Mandioca, macaxeira ou aipim, √© uma esp√©cie de planta tuberosa da fam√≠lia das Euphorbiaceae. O nome dado ao caule do p√© de mandioca √© maniva, o qual, cortado em peda√ßos, √© usado para se fazer o replantio. Sua origem √© de antes da chegada dos europeus ao Brasil, na Amaz√īnia j√° era cultivada e usada como alimento. √Č a terceira maior fonte de carboidratos nos tr√≥picos, depois de arroz e milho, e um dos principais alimentos b√°sicos no mundo, onde faz parte da dieta b√°sica de mais de meio bilh√£o de pessoas. Espalhada em diversas partes do mundo, tem hoje Continue lendo Mandioca ou Macaxeira

Decifrando o Cearês

Pra não esquecer quando é, internantonti é antes do antonti

Col√īnia Cristina e Lepros√°rio Ant√īnio Diogo

A Col√īnia Cristina, criada em 1880, foi um lugar de acolhimento para os √≥rf√£os, v√≠timas da grande seca que assolou o Cear√° no per√≠odo 1877 a 1879. O local foi constru√≠do nas terras doadas pelo comendador Luiz Ribeiro da Cunha e sua esposa Maria Carolina Vieira ao Governo da Prov√≠ncia no dia 10 de abril de 1880 No dia 10 de setembro de 1894, a Lei n¬ļ 158 autorizou a transforma√ß√£o da Col√īnia Agr√≠cola e Orfanol√≥gica Cristina em Col√īnia Correcional Agr√≠cola. Mais tarde, pela Lei n¬ļ 856, de 27 de agosto de 1906, foi autorizado ali, a cria√ß√£o de uma Continue lendo Col√īnia Cristina e Lepros√°rio Ant√īnio Diogo

Bulim

Fotos: Arquivo pessoal Jaqueline Arag√£o Cordeiro

Parque Bot√Ęnico do Cear√°

O Parque Bot√Ęnico do Cear√° foi criado atrav√©s do DECRETO ESTADUAL N¬ļ 24.216, de 09 de setembro de 1996, localiza-se no Munic√≠pio de Caucaia, √†s margens da CE-090, rodovia estadual que d√° acesso √†s praias de Icara√≠, Tabuba, Cumbuco, Cau√≠pe e Lagoa do Banana.   O Parque Bot√Ęnico possui uma √°rea de 190,00 ha e dista 15 km de Fortaleza. √Č uma Unidade de Conserva√ß√£o em processo de revis√£o para adequa√ß√£o ao Sistema Nacional de Unidades de Conserva√ß√£o da Natureza ‚Äď SNUC, Lei Federal n¬į 9.985, de 18 de julho de 2000. Representa uma Unidade de Prote√ß√£o Integral e possui Continue lendo Parque Bot√Ęnico do Cear√°

Parsifal Barroso

Jos√© Parsifal Barroso nasceu em Fortaleza, no dia 5 de julho de 1913 e faleceu em Fortaleza no dia 21 de abril de 1986. Era ¬†filho de Herm√≠nio Barroso e de Em√≠lia Cunha Barroso. Bacharelou-se em ci√™ncias jur√≠dicas e sociais. Em 1936, foi eleito deputado classista para a Assembleia Legislativa do Cear√°. Permaneceu na Assembleia at√© o advento do Estado Novo, e a partir de ent√£o passou a dedicar-se √† advocacia e ao magist√©rio. Com a deposi√ß√£o de Get√ļlio Vargas em 1945, elegeu-se deputado constituinte pelo Cear√° na legenda do Partido Social Democr√°tico (PSD). Em 1949 abandonou o magist√©rio, dedicando-se Continue lendo Parsifal Barroso

Padre √āngelo Cust√≥dio

√āngelo de Alves Castro, o Padre √āngelo Cust√≥dio, nasceu em Cococi, na cidade de Parambu, na Fazenda Olho D‚Äô√Āgua do Urucum. Era Filho do Capit√£o Francisco Alves de Castro e B√°rbara Alves Feitosa. Faleceu v√≠tima do c√≥lera morbus em 22 de junho de 1862. Em novembro de 1846 ficou √≥rf√£o de pai e tr√™s meses depois falecia sua genitora. Iniciou seus estudos na Fazenda Boa Esperan√ßa com o Padre Marcos Ara√ļjo Costa, no Estado do Piau√≠. Foi ordenado no Semin√°rio de S√£o Lu√≠s do Maranh√£o. Por alguns anos foi vig√°rio da Vila de Acarape, atual Reden√ß√£o-Ce. Vindo a falecer nesta Continue lendo Padre √āngelo Cust√≥dio

Monumento a Nossa Senhora da Paz

Est√° localizado em frente a Igreja do Carmo, foi ideia de Milton de Sousa Carvalho e de Adolfo G. de Siqueira, como pagamento da promessa feita a Nossa Senhora da Paz, para que o estado do Cear√° voltasse a ter paz no campo pol√≠tico. A est√°tua foi custeada por doa√ß√Ķes populares. No come√ßo de 1912, foi deposto Nogueira Acioly e posteriormente o governo do Cear√° foi assumindo pelo general Franco Rabelo. Com isso, rompeu-se em Juazeiro do Norte, nos anos de 1913/14, a rebeli√£o comandada por Franco Rabelo, com as b√™n√ß√£os de Padre C√≠cero, e que ficou conhecida como ‚ÄúSedi√ß√£o Continue lendo Monumento a Nossa Senhora da Paz

A seca de 1877/1878 no Cear√°

As fotos fazem parte de um conjunto de 14 registros fotogr√°ficos de v√≠timas da seca ocorrida entre 1877 e 1878 e foram publicadas no jornal ‚ÄúO Besouro‚ÄĚ, de 20 de julho de 1878, ano I, n.16. Esse conjunto de fotografias foi feito em est√ļdio, e pertencem, atualmente, ao acervo da Biblioteca Nacional. S√£o imagens chocantes, em formato de ‚Äúcartes de visite‚ÄĚ, e retratam crian√ßas, homens e mulheres desnutridos e maltrapilhos, de apar√™ncia doentia. A publica√ß√£o da ilustra√ß√£o litogr√°fica das duas fotos sendo seguradas por um esqueleto vestindo palet√≥, sob o t√≠tulo ‚ÄúP√°ginas tristes ‚Äď Scenas e aspectos do Cear√° (para Continue lendo A seca de 1877/1878 no Cear√°