Francisco de Paula Ney

Francisco de Paula Ney nasceu em Aracati no dia 2 de fevereiro de 1858 e faleceu no Rio de Janeiro, no dia 13 de novembro de 1897. Era filho de Mariano de Melo Nei – alfaiate – primeiro Mestre do corte em Fortaleza e D. Carlota Cavalcanti de Sousa Pinheiro. Foi poeta, jornalista, e nutria um grande amor pelo Ceará. Ele costumava dizer: “Pelo Brasil eu morro e pelo Ceará eu mato!”.

Em Fortaleza estudou no Ateneu Cearense, sendo contemporâneo de Capistrano de Abreu, Rocha Lima, Domingos Olímpio, João Lopes, Rodolfo Teófilo e Xilderico de Farias. Em 1873 passou a estudar no Seminário de Fortaleza, atendendo ao desejo de seus pais. Por falta de vocação e mal comportamento, é devolvido aos pais, ingressando então no Liceu Cearense. No Rio de Janeiro começou a estudar na Faculdade Nacional de Medicina. Após uma desilusão amorosa e a reprovação nos exames, decidiu dar continuidade aos seus estudos na Faculdade de Medicina da Bahia. Desistindo de estudar medicina e, saudoso da boemia carioca, retorna ao Rio de Janeiro.

Paula Ney foi uma figura marcante no Rio de Janeiro, fazendo parte de uma brilhante geração de literatos. Em sua época, os cafés e as confeitarias eram os lugares de encontro dos intelectuais. O grupo frequentava a Confeitaria Pascoal, na Rua do Ouvidor e, posteriormente, migraram para a Confeitaria Colombo, com sua fundação, na Gonçalves Dias em 1894. Seus companheiros de boemia eram: Olavo Bilac, Coelho Neto, José do Patrocínio, Pardal Mallet, Luís Murat e Guimarães Passos.

Desde cedo descobriu que sua verdadeira vocação era o jornalismo e, por essa profissão, largou o curso de medicina. Paula Ney trabalhou com José do Patrocínio no jornal Gazeta de Notícias. Ambos propagavam a abolição dos escravos, tendo trabalhado com afinco em prol dessa causa. Foi Paula Ney quem trouxe José do Patrocínio ao Ceará para trazer mais um incentivo à causa abolicionista, porque no Ceará o movimento já era uma realidade. É de José do Patrocínio a famosa frase: “O Ceará é a terra da luz!”

Era um homem muito inteligente e tinha respostas prontas para todas as ocasiões. Fazia rir a todo mundo. Suas piadas ficaram famosas. Ciro Vieira da Cunha publicou um livro contendo 100 piadas de Paula Ney.

Fonte: Biblioteca virtual da UFC
Jaqueline Aragão Cordeiro

One Reply to “Francisco de Paula Ney”

  1. Ao passar pela net encontrei o seu blog , que me chamou à atenção li a primeira postagem e folhe-ei mais lagumas, é um blog feito com muito entusiasmo, e dedicação, gostei do conteúdo e quero deixar os meus parabéns, quando encontro um blog bom deixo sempre um comentário e um convite.Ficarei grato se me der a honra da sua visita no meu blog O Peregrino E Servo. Se desejar seguir eu sempre vou retribuir seguindo seu blog também.
    Sou António Batalha, portugues e cristão evangelico. Deixo a minha benção, e a paz de Jesus.
    PS.Ao seguir meu blog faça-o de forma a que eu possa encontrar o seu blog, para que possa segui também.

Deixe um comentário para António Jesus Batalha Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*