A jazida de urânio de Itataia

A Jazida de Itataia além de ser a de maior teor de fosfato do país tem como sub-produto a maior jazida de urânio brasileira. Além do mármore associado ao fosfato e urânio, ainda possui reservas de 300.000.000 m3 de mármores que podem ser lavrados para rochas ornamentais, cimento, cal, tintas e corretivo de solo.

A jazida localiza-se no centro-norte do Estado, no município de Santa Quitéria, distante 211 km da capital, sendo 167 km de asfalto (BR-020) até São José da Macaoca (Madalena/Ce) e 28 Km de asfalto na CE-366, até Lagoa do Mato (Itatira/CE) e 16 km de estrada carroçável.

As Indústrias Nucleares do Brasil S.A – INB é detentora dos direitos minerários da jazida, que ocorre nos domínios da Fazenda Itataia, com 4.042 ha, propriedade da INB. A fazenda é toda cercada, possui um açude com capacidade de 2.300.000 m3, um campo de pouso com 1200 m. para aeronaves de pequeno porte, e um acampamento composto de alojamento, escritório, laboratório e barracões de testemunhos de sondagens. Dispõe ainda de estação meteorológica e sismográfica.

A jazida é de natureza fósforo-uranífera, ocorrendo sob a forma de colofanito uranífero, e o corpo principal de minério ocorre numa elevação, tendo comprimento de 800 metros e largura variável de 250 a 400 metros. O minério ocorre desde a superfície até a profundidade de 180 metros. As reservas lavráveis do corpo principal são da ordem de 8.882.000 toneladas de  fosfato e 79.319 toneladas de urânio, sendo 79.500.000 toneladas de minério. Só de colofanito maciço as reservas atingem um total de 19.300.000 t. As reservas de calcário associado ao minério são da ordem de 32.000.000 t.

A jazida de Santa Quitéria foi descoberta em junho de 1976, depois de 7 anos de pesquisas realizadas na área. Com a decisão do Governo Federal de retomar o Programa Nuclear Brasileiro, construindo mais usinas nucleares, a INB buscou, na iniciativa privada, empresas da área de fertilizantes para explorar a jazida.

Em junho de 2008, o Conselho Administrativo da estatal anunciou a Galvani como parceira no Projeto Santa Quitéria. Depois disso, mais um passo rumo à consolidação do projeto foi dado quando, a INB e o Governo do Estado assinaram um protocolo de intenções visando adotar providências para suprir as necessidades para a implantação deste importante projeto, como a disponibilização de infra-estrutura de abastecimento de água, energia elétrica e acesso rodoviário. Desde dezembro de 2008, a Galvani obteve a aprovação de uma carta-consulta junto ao Banco do Nordeste (BNB) para empréstimo de 80% dos recursos necessários ao empreendimento.

Fonte: FIEC e InvestNE
Jaqueline Aragão Cordeiro

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*