Os monólitos e Quixadá

OS MONÓLITOS
O Monumento natural “Os Monólitos de Quixadá”, unidade de conservação de proteção integral, criada por meio do decreto Nº 26.805, de 25 de outubro de 2002, abrange uma área delimitada pelas seguintes coordenadas geográficas: Latitude Sul entre 04° 54’ e 05° 02’ e Longitude Oeste entre 38° 53’ e 39° 06’. Localiza-se no Município de Quixadá, a aproximadamente, 158 Km de Fortaleza. O principal acesso a esta Unidade de Conservação se dá, partindo de Fortaleza, pela Rodovia CE 060.

Justifica-se sua criação em face da raridade e beleza cênica de grande valor ecológico e turístico dos campos de inselbergs existentes na região de Quixadá e da necessidade de proteção à riqueza natural que garante equilíbrio ecológico ao Sertão Central, dada a sua natural fragilidade e permanente estado de risco face às intervenções antrópicas.

CARACTERÍSTICAS GERAIS
Nas áreas inseridas nesta unidade de conservação, existem formações geomorfológicas, conhecidas tecnicamente como Inselbergs, cujo significado toponímico é “curral de pedras”. Localmente são chamados de serrotes ou monólitos.

Trata-se de unidade de conservação, cujo diploma legal encontra-se em processo de revisão pela SEMACE, considerando que a área relativa ao conjunto de Inselbergs de Quixadá já se encontra, em parte, sob a responsabilidade legal do IPHAN, por abrigar sítios arqueológicos em grande parte ainda desconhecidos, carecendo de estudos complementares.

Por se tratar de unidade cujo decreto referente à sua criação está sendo revisado, não existem ainda plantas ou mapas desta área.

ATIVIDADES PROIBIDAS
• A retirada ou desmonte dos campos de inselbergs, das formações rochosas, bem como a implantação de equipamentos em suas estruturas naturais
• A realização de obras civis, de terraplenagem e a abertura de estradas, bem como sua manutenção, quando essas iniciativas importarem em sensíveis alterações das condições ecológicas dos campos de inselbergs
• A marcação, gravura ou qualquer alteração da formação natural dos monólitos
• Demais atividades danosas previstas na legislação ambiental

PROBLEMAS AMBIENTAIS
Os principais problemas existentes nesta unidade são decorrentes da ação antrópica, como: desmatamento, queimadas e extração mineral.

A SEMACE realiza fiscalizações na área. Entretanto, a colaboração da sociedade é imprescindível na gestão desta unidade de conservação, denunciando as agressões ao meio ambiente e adotando atitudes que propiciem o desenvolvimento de uma consciência ecológica na população e nos visitantes.

Fonte: SEMACE
Fotos: Arquivo pessoal
Jaqueline Aragão Cordeiro

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*