Padre Ximenes

 
Luís Ximenes Aragão Freire nasceu na cidade de Camocim, no dia 05 de novembro de 1925. Foi redator e colunista de alguns jornais católicos, coordenou várias comunidades na zona rural e ajudou a criar várias capelas. Publicou seis livros sobre o trem, que era a sua paixão, paixão essa, herdada de seu pai, que fora maquinista em Camocim. Como consequência dessa paixão, foi convidado para ser patrono da Estação Ferroviária de Guaiuba, o que aceitou prontamente.
Em setembro de 1975 viajou à Europa, onde visitou 10 países. Em Roma teve oportunidade de ir ver Sua Santidade o Papa Paulo VI.
 
No dia 04 de outubro de 1994, depois de passar mal, foi celebrar a missa na matriz da cidade de Santa Quitéria, mesmo contrariando os conselhos de quem o acompanhava. Após cumprir o ritual religioso, foi para a Casa Paroquial, onde passou mal novamente. Foi chamada para atendê-lo, a Dra. Elizabeth Milfont, mas quando esta chegou, já era tarde, o padre havia falecido.
 
Por mais de 41 anos, foi o Pároco da cidade de Santa Quitéria. Em sua homenagem, hoje existe nesta cidade, um museu, onde se encontram ex-votos resultados de graças alcançadas por sua interseção. Faleceu em 04 de outubro de 1994 às 22h30min, vítima de infarto e seus restos mortais, descansam no lado direito do altar, da matriz de Santa Quitéria. Pessoa afetuosa e gentil, Padre Ximenes era amado pelos paroquianos quase com devoção, e quem o conheceu, guarda na memória o sorriso largo que a todos encantava.
Além de vários poemas, escreveu sete livros:
01 – Sobral Igreja Hoje – 1971
02 – Sobral, as madrugada da diocese – 1972
03 – Paixão Ferroviária – 1984
04 – O trem, meu velho amigo – 1986
05 – Sua Alteza, Maria Fumaça – 1987
06 – Sonetos do trem Perdido – 1988
07 – Liturgia dos Trens – 1989
 
Fonte: Santa Quitéria noticias / A voz de Santa Quitéria
Jaqueline Aragão Cordeiro

One Reply to “Padre Ximenes”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*