Nostalgia pelas ruas de Viçosa do Ceará

Localizada na Serra da Ibiapaba, a cidade de Viçosa do Ceará nos absorve com seus casarões que mais parecem uma novela de época. Criada em 1882, é uma das cidades mais antigas do estado, com elementos da colonização francesa e portuguesa e da forte presença indígena.

Casa dos Licores

CASA DOS LICORES
A bodega do Seu Alfredo Miranda (falecido em 29/03/2014, aos 98 anos), e de Dona Teresinha, conhecida como a Casa do Licores, é um dos pontos turísticos de Viçosa do Ceará, onde são comercializados licores e itens da culinária regional, de fabricação própria. Seu Alfredo era tocador e compositor de canções para pife.

Solar dos Pinho

SOLAR DOS PINHO
Era a residência e o comércio de uma família que, por muito tempo, desenvolveu várias atividades em Viçosa do Ceará. O prédio com cerca de um quarteirão começou a ser construído no século XIX. Eles compravam e vendiam tecidos e ferragens. O casarão construído no modelo neoclássico tem fachadas retas e detalhes ovais nas portas e janelas que, somadas, chegam a 186.

Prédio da Câmara Municipal

PRÉDIO DA CÂMARA MUNICIPAL
O prédio onde hoje funciona a Câmara Municipal foi construído no início do século XX. Ele é feito a partir de linhas retas sem tantos detalhes na fachada, mas ainda guarda as sacadas nas janelas. No prédio funcionou o Gabinete Viçosense de Leitura, inaugurado em maio de 1920. O prédio foi restaurado e, a partir de 1986, foi ocupado pela Câmara Municipal.

Nos arredores da Igreja do Céu, a Prefeitura inaugurou o Polo Turístico Artesanal e Cultura Igreja do Céu
Subindo pela escadaria, somam 334 degraus

IGREJA DO CÉU
Fundada pelo Monsenhor José Carneiro da Cunha dedicada a Nossa Senhora das Vitórias é o ponto mais alto da cidade com 900m de altitude, encravada no topo do morro que rodeia a cidade. No alto do templo surge a imagem do Cristo Redentor, esculpida pelo italiano Agostinho Odísio Balmes em 1937 e inaugurada pelo Bispo José Tupinambá da Frota, Bispo da Diocese Sobralense em 14 de agosto de 1938. A igreja passou por duas reformas em menos de 20 anos. Uma em 1998, onde foi criado o Polo Turístico, Artesanal e Cultural Igreja do Céu e outra em 2016 onde foi construído áreas de lazer, estacionamento, restaurantes e área de eventos.

TEATRO PEDRO II
Construído em 1909, é um dos mais antigos do Ceará e preserva os traços de importante exemplar da arquitetura civil do início do século XX. Antes mesmo da inauguração do teatro, a cidade era palco de diversas manifestações culturais. Como não havia espaço adequado, as apresentações de peças teatrais aconteciam nos salões da maioria das casas. Assim, com sua inauguração em 1910, o Teatro D. Pedro II passou a ser um dos principais espaços culturais locais, contando com exibição de filmes e peças de companhias estrangeiras. Atualmente, é um dos poucos teatros que existem no interior do Ceará e, apesar de pequeno, com apenas 287,44m² de área construída, é um dos mais imponentes monumentos da cidade. Conserva muito da sua arquitetura original, que realça o conjunto eclético dos imóveis tombados.

SOLAR DA MARCELA
O prédio ficou conhecido pelo nome da última dona. O sobrado foi construído no fim do século XIX e tem na fachada o modelo das casas da época. As janelas e as portas guardam contornos da arquitetura moderna, embora ainda possam ser vistos detalhes do estilo neoclássico. O primeiro dono do sobrado foi Raimundo Fontenele, que teve apenas uma filha, Marcela. Muita gente em Viçosa do Ceará ainda se lembra de Marcela. Ela ficou conhecida por ter hábitos simples e não gostar muito de sair de casa. Usava saias compridas, blusa de mangas compridas e um xale em volta dos ombros. Sentada em uma cadeira de balanço, ela observava o mundo a partir das janelas do sobrado que leva o seu nome até hoje.

IGREJA MATRIZ DE NOSSA SENHORA DA ASSUNÇÃO
A mais antiga do Estado, construída pelos jesuítas, entre 1691 e 1700. Na época, os jesuítas catequizavam os índios Tabajara e, para atraí-los à fé católica, esculpiram a imagem de Nossa Senhora da Assunção à imagem e semelhança das mulheres daquela etnia. Ao longo dos anos, com a mudança de párocos, a igreja – em estilo barroco e fachada eclética – foi sendo reformada e descaracterizada, perdeu o altar do coral, e houve a inclusão de cerâmicas em seus interior e pedras na fachada.

O Memorial foi construído no quintal da casa do Padre José Beviláqua, pai do jurista
Frente da casa do Padre José Beviláqua, hoje, pertencente ao Tribunal do Justiça do Ceará

MEMORIAL CLÓVIS BEVILÁQUA
O Memorial Clóvis Beviláqua reúne peças e objetos pessoais do jurista mais importante do Brasil. Foi ele quem fez o Código Civil Brasileiro, em 1916, que foi remodelado quase um século depois. O Memorial foi construído na casa onde ele nasceu, no século XIX, e viveu até completar 10 anos de idade. Beviláqua era filho do padre José Beviláqua, de Viçosa do Ceará. Clóvis, ainda bem moço, envolveu-se na luta contra a escravidão. Esse foi um dos motivos pelos quais não conseguia emprego no Ceará. Foi para o Maranhão como promotor e casouse com a piauiense Amélia de Freitas Beviláqua, que era escritora. Clóvis foi membro da Academia Brasileira de Letras.

No memorial, você vai encontrar cartas do jurista, livros e a coleção de selos dele. Na casa onde morou, estão expostas muitas fotos de Clóvis Beviláqua e também alguns móveis que pertenceram a ele e que foram doados pelas filhas que moram no Rio de Janeiro. O Memorial Clóvis Beviláqua foi inaugurado em 1999 e é mantido pelo Tribunal de Justiça do Ceará.

PELAS RUAS ONDE PASSEI

Fonte: G1 / Fundação Demócrito Rocha / IPHAN / Wikipedia
Fotos: Arquivo Pessoal
Jaqueline Aragão Cordeiro

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*