João André Teixeira Mendes, o Canela Preta

João André Teixeira Mendes, o Canela Preta, nasceu no dia 17 de março de 1781, na Vila de Icó, e faleceu com 93 anos, em Icó. Casou-se no dia 06/07/1803, na Capela do Rosário na Vila do Icó, com a sua prima Maria Demétria do Coração de Jesus. João André Teixeira Mendes pertenceu ao Partido Conservador, ligado a Joaquim Pinto Madeira até 1831. Foi um perseguidor implacável da família Alencar e seus maiores inimigos foram os Cavalcante, a quem matou muitos membros da família. Em 1823 é criado o partido patriota do Icó, uma minoria na luta contra os portugueses Continue lendo João André Teixeira Mendes, o Canela Preta

Mini série “A sedição de Juazeiro”

O Caldeirão do Beato Zé Lourenço

TV Assembleia – Ceará

A Estrada de Ferro de Sobral

A Estrada de Ferro de Sobral (EFS) foi a segunda ferrovia do Ceará, foi planejada para dar assistência a cidade de Sobral durante os anos de seca entre 1877 e 1879. Sua construção teve início em 1878 e alcançou o seu primeiro ponto final, Ipu, em 1894. Atualmente estes caminhos de ferro são operados pela Transnordestina Logística S.A. Os primeiros trilhos foram assentados em 26 de março de 1879, em Camocim e dois anos depois, em 15 de janeiro de 1881, foi inaugurado o primeiro trecho, com 24,50 quilômetros, ligando o Porto de Camocim a cidade de Granja. A estrada Continue lendo A Estrada de Ferro de Sobral

Transnordestina

A Transnordestina Logística S/A é uma empresa privada do Grupo CSN que está construindo uma ferrovia de padrão internacional com 1.753 km de extensão que será uma solução logística integrada para atender a região Nordeste do Brasil, com foco no agronegócio e na indústria mineral. A malha da  Transnordestina vai interligar Eliseu Martins, no sertão do Piauí, aos portos de Pecém, no Ceará, e Suape, em Pernambuco. Os dois portos são estrategicamente localizados em relação aos grandes mercados consumidores e têm capacidade de operar navios “cape size”, os maiores navios de carga em utilização atualmente. Quando estiver operando, a ferrovia Continue lendo Transnordestina

A Guerra do Paraguai e a Batalha de Tuiuti

A 1ª Batalha de Tuiuti travou-se em 24 de maio de 1866 nos pântanos circundantes do lago Tuiuti, em território do Paraguai, tendo envolvido mais de 50.000 homens de ambos os lados. É considerada pelos historiadores militares como uma das mais importantes batalhas da Guerra da Tríplice Aliança (Argentina, Brasil e Uruguai) ou Guerra do Paraguai (1864-1870). Solano López (Comandante das tropas e segundo presidente do Paraguai) confiava em que, nesse momento, uma esmagadora vitória pudesse empurrar o inimigo de volta ao rio Paraná, decidindo a guerra a seu favor, porém, não levou em conta que o inimigo era mais Continue lendo A Guerra do Paraguai e a Batalha de Tuiuti

O QUEBRA-QUEBRA DE 1942

O dia 18 de agosto de 1942 parecia ser mais um dia comum no Brasil do Estado Novo, que assistia, sem maior envolvimento, à Segunda Guerra Mundial. O afundamento de seis navios brasileiros por submarinos alemães não havia gerado ainda nenhuma resposta do governo de Getúlio Vargas às forças do Eixo (formado por Alemanha, Itália eJapão). A população, inconformada com tamanha afronta dos alemães, toma suas próprias providências e sai às ruas para quebrar todos os estabelecimentos comerciais que tivessem alguma ligação com os países que passara a considerarinimigos. Acontece, então, o Quebra-Quebra de 42. Em meio àquela confusão, estava Continue lendo O QUEBRA-QUEBRA DE 1942

O Batalhão Patriótico

Em 1925, a coluna Prestes percorria o interior do Brasil. O governo federal montava diversos grupos armados para combater o bando. Na região o encarregado de organizar a milícia foi o médico Floro Bartolomeu, que criou o chamado Batalhão Patriótico. Para fortalecer o grupo, Floro teve uma ideia inusitada: convidar o temido cangaceiro Lampião para integrar o Batalhão Patriótico. Como argumentos, o caudilho usou o nome de Padre Cícero e ofertou a anistia ao bando de Lampião. Em 1926 Lampião chegou em Juazeiro acompanhado de quarenta e nove homens com o intuito de servir ao Batalhão Patriótico. Ao contrário do Continue lendo O Batalhão Patriótico

Príncipe dos Poetas Cearenses

O título de Príncipe dos Poetas Cearenses surgiu com a ideia do jornalista Demócrito Rocha de premiar o melhor dentre os poetas vivos do Estado.  Em 1925, o jornalista fundador de O Povo promoveu consultas na Revista Ceará Ilustrado, a fim de que fosse escolhido o vencedor. Concorreram nomes como Antônio Sales, Júlio Maciel, Cruz Filho e outros grandes poetas, porém, o escolhido fora o Padre Antônio Tomás. Após a morte do Padre Antonio Tomás, em 1941, o principado ficou vago, até que o antigo jornal Correio do Ceará organizou um outro certame em 1963, vencido por Cruz Filho. Com Continue lendo Príncipe dos Poetas Cearenses

OS BONDINHOS DE FORTALEZA

PRAÇA DO FERREIRA- 1939 Em agosto de 1875 foi assinado o contrato para o assentamento dos trilhos para os bondes de tração animal, a ligação seria do centro de Fortaleza aos seus bairros. Os bondes eram movidos unicamente por tração animal em seus 4.210 metros de trilhos, que eram administrados pela Cia. Ferro Carril do Ceará. Em 1912 os direitos são transferidos para a companhia inglesa “The Ceará Light & Power Co. Ltd.”, que passa a explorar os bondes puxados a burro e ao mesmo tempo, instala os de tração elétrica, que começaram a circular a partir de 1913 e Continue lendo OS BONDINHOS DE FORTALEZA