Dona Luiza Távora

Filha de Luiz Moraes Correa, professor da Faculdade de Direito do Ceará, e adepto da filosofia teosofista, e de Esmerina Silva Correia, Luíza Silva Moraes Correia, nascida em 01 de julho de 1923, era uma dos 15 filhos do casal. Faleceu no dia 14 de fevereiro de 1992. Seu primeiro emprego foi como secretária do então Secretário de Educação Dr. Valmik Sampaio de Albuquerque. Nessa época seu pai veio a falecer, deixando a mãe com a responsabilidade da criação de todos os filhos, papel que desempenhou com muita responsabilidade. Casou em 1953 Virgílio de Morais Fernandes Távora, passando a se Continue lendo Dona Luiza Távora

João Facundo de Castro Menezes (Major Facundo)

João Facundo de Castro Menezes (Major Facundo) nasceu em Aracati, no dia 12 de julho de 1787 e faleceu em Fortaleza, no dia 08 de dezembro de 1842. Era filho do Capitão-mor José de Castro e Silva (2º do nome) e de Joana Maria Bezerra. Governou a Província, como Vice-presidente, por quatro vezes, na última das quais assumiu o governo a 6 de abril de 1842, para entregá-lo a 9 de maio ao Brigadeiro José Joaquim Coelho. Foi Comandante do Batalhão dos Nobres; Alferes do Regimento de Milícias Montadas das margens do Jaguaribe (1822); Comandante do Batalhão de Caçadores Voluntários Continue lendo João Facundo de Castro Menezes (Major Facundo)

Justiniano de Serpa

Justiniano José de Serpa nasceu em Aquiraz, no dia 06 de janeiro de 1852 e faleceu no Rio de Janeiro, no dia 01 de agosto de 1923. Foi jornalista, escritor, abolicionista, advogado e político. De origem humilde, trabalhou desde cedo juntamente com seu pai, Manuel da Costa Marçal. Transferindo-se para Fortaleza, começou a atuar como jornalista. Bacharelou-se em Direito na Faculdade de Direito do Recife, em 1888, quando já era conhecido na vida política e intelectual local. Foi um dos mais fervorosos adeptos da abolição da escravatura no Ceará, seja como político, seja como jornalista. Nessa atividade, chegou a redator Continue lendo Justiniano de Serpa

José Pedro Soares Bulcão

José Pedro Soares Bulcão nasceu em Uruburetama, no dia 13 de maio de 1873 e faleceu em Fortaleza, no dia 17 de julho de 1942. Pai da atriz Florinda Bulcão. Pertenceu ao Instituto do Ceará e à Academia Cearense de Letras. Foi um jornalista polêmico, político de destaque e orador, tendo exercido dois mandatos de deputado na Assembleia Estadual do Ceará (1921 a 1928). Foi poeta renomado e, segundo Raimundo Girão, “as suas produções líricas, muito bem limadas, encerram o espírito de acrisolado sentimentalismo e invencível melancolia…” Estreou na poesia em 1910 com o original adagiário poético Parêmias, (Filosofia popular Continue lendo José Pedro Soares Bulcão

Antonio Conselheiro (2)

Antônio Vicente Mendes Maciel, mais conhecido na história do Brasil como Antônio Conselheiro, nasceu em Quixeramobim, no dia 13 de março de 1830. Líder religioso, adquiriu uma dimensão messiânica ao liderar o Arraial de Canudos, um pequeno vilarejo no sertão da Bahia, que atraiu milhares de sertanejos, entre camponeses, índios e escravos recém-libertados, e que foi destruído pelo Exército da República na chamada Guerra de Canudos em 1897. Fonte: Fundação Demócrito Rocha Jaqueline Aragão Cordeiro

Isaac Correia do Amaral

Isaac Correia do Amaral nasceu em Fortaleza, no dia 18 de setembro de 1859, e faleceu em abril de 1942, no sítio Bonfim, localizado na serra de Guaramiranga. Era Filho de João Antônio do Amaral e Maria Correia de Melo. Em 1871 viajou para a Alemanha, onde cursou o Liceu Prussiano, na cidade de Altona. Ao retornar, demorou algum tempo em Lisboa, a fim de retomar o idioma português. No Ceará, foi um dos mais convictos abolicionistas e um dos fundadores da Sociedade Cearense Libertadora, seguindo a atuação de sua família. Esteve no Amazonas, onde participou ativamente da campanha abolicionista. Projetista, Continue lendo Isaac Correia do Amaral

Lauro Maia – Fundação Demócrito Rocha

Lauro Maia Teles nasceu em Fortaleza, no dia 06 de novembro de 1913 e faleceu no Rio de Janeiro em 05 de janeiro de 1950. Foi um compositor, arranjador e instrumentista, figura maior no campo da pesquisa musical folclórica. O cearense que criou o “balanceio”. Pelo lado materno, era sobrinho-neto do Barão de Camocim. Lauro ensaiou seus primeiros passos como músico e compositor no piano da mãe e foi dela que o garoto recebeu as primeiras aulas de teoria musical. Com apenas 13 anos, começou a apresentar-se, tocando piano no Cine-Teatro Majestic, em Fortaleza. Em 1935 começou a trabalhar na Continue lendo Lauro Maia – Fundação Demócrito Rocha

João Perboyre e Silva

João Perboyre e Silva nasceu em Redenção, no dia 18/09/1905, era filho de Luiz José Pereira da Silva e Maria Júlia Pereira Silva. Iniciou os estudos em sua cidade natal e fez o curso de preparatórios no Liceu do Ceará e se graduou pela Faculdade de Direito, em 1929. Aluno brilhante, ocupou interinamente a cadeira de Direito Internacional Privado da mesma Faculdade, de 1939 a 1947. Foi jornalista e escritor. Era casado com Waldeliz e tiveram uma filha chamada Ruth. Ainda acadêmico de direito, voltou-se para o jornalismo, fundando, juntamente com os colegas Paulo Sarasate, Plácido Castelo e Parsifal Barroso, Continue lendo João Perboyre e Silva

Francisco Dias da Rocha

Francisco Dias da Rocha nasceu em Fortaleza, no dia 23 de Agosto de 1869 e faleceu em Fortaleza, no dia 22 de julho de 1960. Era filho do negociante português Joaquim Dias da Rocha e Francisca de Paula Rocha, seus avós paternos eram Maximiano Dias da Rocha e Maria José Pinheiro Chagas, prima legítima do escritor Pinheiro Chagas; e seus avós maternos, o professor Francisco de Paula Cavalcante e Cosma Rufina de Pontes. Dias da Rocha foi comerciante, pesquisador, professor e cientista. Começou seus estudos em 1880 nos colégios São José e Atheneu Cearense, mas teve de os suspender em Continue lendo Francisco Dias da Rocha

Eduardo Francisco Nogueira Angelim

Eduardo Francisco Nogueira Angelim ou somente Eduardo Angelim nasceu em Aracati, no dia 6 de julho de 1814 e faleceu em Barcarena (PA), em 20 de julho de 1882. Foi um lavrador e revolucionário cabano. Sua chegada ao Grão-Pará remonta à década de 1820, fugindo de uma seca que assolou a região Nordeste. Devido ao seu espirito de luta partidária, foi apelidado de “Angelim”, por ser esta madeira muito resistente. Já com 19 anos, participava ativamente da política da província. No Brasil do século XIX, lutou pela autonomia da província do Grão-Pará – atual estado do Pará – para que Continue lendo Eduardo Francisco Nogueira Angelim

José Maria “Moreira Campos”

José Maria Moreira Campos nasceu em Senador Pompeu, no dia 06 de janeiro de 1914 e faleceu em Fortaleza, no dia 06 de maio de 1994, aos 80 anos de idade. É filho do português Francisco Gonçalves Campos e Adélia Moreira Campos. Ingressou na Faculdade de Direito do Ceará, bacharelando-se em 1946. Licenciou-se em Letras Neolatinas em 1967, na antiga Faculdade Católica de Filosofia do Ceará. Na área do magistério iniciou-se como professor de Português, Literatura e Geografia em colégios. Exerceu o magistério na Universidade Federal do Ceará, Curso de Letras, como titular de Literatura Portuguesa. Integrante do Grupo Clã. Continue lendo José Maria “Moreira Campos”

Ramos Cotoco

Raimundo Ramos de Paula Filho, o Ramos Cotôco, nasceu em Fortaleza no dia 21 de maio de 1871 e faleceu em Fortaleza, no dia 20 de outubro de 1916. Foi poeta, compositor, cantor e pintor. Recebeu o apelido de Cotôco por ter nascido sem o antibraço. Apesar da insatisfação, a brincadeira tornou-se quase um sobrenome, e foi assim que ele ficou conhecido ao longo dos anos. Era filho de Raimundo Ramos de Paula, comerciante, e de Rufina Ramos, dona de casa. Ficou órfão de pai aos 16 anos, quando começou a trabalhar como pintor para sustentar a mãe. Foi casado Continue lendo Ramos Cotoco

Documentário: “Humberto Teixeira – vida e música”

O documentário é um filme biográfico sobre o compositor cearense, que também foi advogado e político. Humberto Teixeira é muito lembrado por sua parceria com Luiz Gonzaga. Juntos, eles criaram músicas que são conhecidas mundialmente, como “Baião” e “Asa Branca”. Ele também teve outros parceiros e fez muito sucesso compondo sozinho. Na condição de advogado e político, atuou como grande defensor do direito autoral no cenário da música brasileira. TV Assembleia – Ceará Jaqueline Aragão Cordeiro

Otacílio de Azevedo

Otacílio Ferreira de Azevedo nasceu em Redenção, 11 de fevereiro de 1892 e faleceu em Fortaleza, no dia 3 de abril de 1978. Era filho de Bernardino Ferreira de Azevedo e Felismina Maria da Conceição. De família modesta, humilde  e esforçado, autodidata graças ao interesse sempre revelado pela leitura de bons livros, acumulou apreciável cultura. Começou como pintor, e seus quadros logo se tornaram preciosos e disputados até no estrangeiro: em Londres, quadro seu ornamenta as paredes da BBC (British Broadcasting Corporation), e grandes colecionadores do Brasil também os possuem. Foi o cenógrafo das primeiras versões da Valsa Proibida (1941 Continue lendo Otacílio de Azevedo

Maria Lucia Corrêa

Maria Lúcia Magalhães Corrêa nasceu em Senador Pompeu (CE), no dia 20 de maio de 1931. Filha de Benevides de Magalhães e de Perpétua Sá Benevides de Magalhães. Graduou-se em Filosofia pela Faculdade Católica de Filosofia e Letras do Ceará, no ano de 1951. Casou-se com Danilo Dalmo da Rocha Corrêa, natural de Caucaia, filho do Tenente Edson da Mota Corrêa, e tiveram seis filhos: Lucia Maria, Inês Maria, Edson Neto, Eveline Maria, Danilo Filho e Eveline Maria, além desses, tiveram mais dois filhos adotivos: Isabela e Antonio. Maria Lúcia lecionou nos colégios Rui Barbosa e Farias Brito (em Fortaleza) Continue lendo Maria Lucia Corrêa