Mestre Aldenir Aguiar

Nome: José Aldenir Aguiar (Mestre Aldenir) Data de nascimento: 20/08/1933 Atividade: Reisado Cidade: Crato (CE) Ano da nomeação: 2004 Reisado é um Folguedo do ciclo natalino, que representa o cortejo dos Reis Magos em peregrinação à Terra Santa, durante a qual faz autos, travando batalhas e apresentando espetáculos. Representando essa tradição há mais de 50 anos, temos José Aldenir Aguiar, cratense, nomeado mestre da cultura do Ceará, em 2004. O Reisado acontece no ciclo natalino, costurado por Natal, Ano Bom e Reis. Mestre Aldenir nasceu e se criou na roça da Vila Padre Cícero e conheceu o reisado por influência Continue lendo Mestre Aldenir Aguiar

Os sons dos sinos de Seu Getúlio Colares, o sineiro de Canindé

Seu Getúlio Colares é Mestre da Cultura do Ceará, nomeado em 2007, ouça os sons que deixaram o sineiro famoso e nos emociona sempre que ouvimos. Leia mais sobre Mestre Getúlio AQUI Jaqueline Aragão Cordeiro

Grupo de Incelenças de Barbalha

Nome: Grupo de Incelênças de Barbalha Tradição: incelências Cidade: Barbalha (CE) Ano da nomeação: 2012 Tudo começou com o padre Ibiapina, no século 19, que trouxe penitentes da Europa para catequizar os índios do Cariri, Sul do Ceará. Os penitentes eram religiosos que há até pouco tempo se autoflagelavam para livrar a alma dos pecados. Com o passar do tempo, as mulheres, que antes eram limitadas a cantar em velórios, passaram a levar adiante a tradição dos penitentes na região. O grupo de incelenças já existe na comunidade do sitio cabeceiras, na cidade de Barbalha, há mais de um século, Continue lendo Grupo de Incelenças de Barbalha

Banda Cabaçal dos Irmãos Aniceto (2)

Banda Cabaçal dos Irmãos Aniceto é um grupo folclórico e musical que surgiu ainda no século XIX, tendo como fundador José Lourenço da Silva, o Aniceto. Desde então, vem sendo tocada por seus amigos, filhos e netos, todos agricultores de Crato. Ainda hoje, os integrantes mantêm a tradição de confeccionar os instrumentos com peles de bode ou carneiro esticadas sobre enormes troncos de madeira, com o miolo retirado a golpes de machado. Os pífanos são feitos de tabocas. Fonte: Fundação Demócrito Rocha Jaqueline Aragão Cordeiro

Mestre Panteca

Nome: Francisco Pedrosa de Souza (Mestre Panteca) Data de nascimento: 08/04/1933 Data de falecimento: 07/05/2006 Atividade: boi-bumbá Cidade: Sobral (CE) Ano da nomeação: 2004 Inspirou a criação de mais de 30 grupos de bois existentes em Sobral. Dedicou 40 anos de sua vida à arte. Iniciou a brincadeira quando ainda era feirante com o objetivo de puxar o boi e divertir a família. O amor de Mestre Panteca pelo reisado pode ser visto nas apresentações do seu Boi Ideal. O seu maior objetivo era manter viva essa manifestação cultural, para ele ver o Boi dançando, era motivo de muita alegria. Continue lendo Mestre Panteca

Mestre Joaquim Mulato

Nome: Joaquim Mulato de Sousa (Mestre Joaquim Mulato) Data de nascimento: 3/2/1920 Data de falecimento: 23/02/2009 Atividade: Penitência Cidade: Barbalha (CE) Ano da nomeação: 2004 Coral Penitentes: Conjunto de coral que apresenta os cânticos e rituais das antigas irmandades de penitentes, incluindo caminhadas, rezas, ladainhas, beneditos e incelenças. Mestre Joaquim Mulato era natural de Barbalha, foi penitente por 73 anos. Ainda menino, aos 12 anos, ficou maravilhado com um grupo que cantava a música ABC do Divino. Ele achou bonito e perguntou à madrinha quem eram. A resposta foi de que se tratavam dos penitentes. Quando seu pai morreu, ele, Continue lendo Mestre Joaquim Mulato

Mestre Juca do Balaio

Joaquim Pessoa de Araújo nasceu em Iguatu, no dia 30 de janeiro de 1923. Foi criado no Crato, e encontrou o maracatu mais tarde, quando chegou com a família, que eram o pai e sete irmãos, na capital Fortaleza, depois de uma infância sertaneja de pastoril, reisado, cordéis e congos, vivida no interior do estado. Juca do Balaio foi índio e princesa em outros maracatus, mas no Az de Ouro se descobriu balaieiro, dos melhores, e fez história. Ganhou a reverência de Mestre da Cultura Tradicional do Estado do Ceará em reconhecimento ao seu talento e à dedicação de uma Continue lendo Mestre Juca do Balaio

Tesouros Vivos da Cultura Popular Tradicional

O Estado do Ceará possui, desde 2003, uma legislação específica para “Tesouros Vivos da Cultura Popular Tradicional”. Através de edital público, a Secult/CE identifica e recebe inscrições para o processo seletivo que confere o título e um auxílio financeiro aos selecionados no valor de um salário mínimo. Trata-se de uma ajuda de custo que eles recebem mensalmente até o fim da vida. Isso significa que a pessoa que se inscreveu no edital, sendo reconhecida, passa a ter uma condição melhor em sua vida pelo ele faz, já fez e pelo que representa. Não há uma obrigação de produção, é um Continue lendo Tesouros Vivos da Cultura Popular Tradicional

Mestre Getúlio Colares

Getúlio Colares Pereira nasceu em Canindé, no dia 23 de março 1929. É sineiro da Basílica de São Francisco e “Tesouro Vivo do estado / Mestre da Cultura”, do ano de 2007. Ele começou a tocar sinos com a idade de 15 anos, precisamente no dia 29 de junho de 1944 por ocasião de uma procissão em homenagem ao Coração de Jesus, incentivado por sua mãe. Mestre Getúlio, como é conhecido, diz que não se intimida em ter que encarar cinco vezes ao dia a escada que o leva para o local onde fica o sino. “Eu subo as escadas Continue lendo Mestre Getúlio Colares

Dona Dina, a vaqueira

Quando menina, nos tempos em que morava na fazenda Barra do Cancão, na cidade de Canindé, Dina Maria Martins Lima não queria saber de cozinha, contrariando o destino das mulheres do sertão. O gosto dela era a lida da fazenda, pegar cavalo, tanger o gado. Tarefa difícil de ser feita por uma mulher que tinha sete irmãos varões. Mas esperta e determinada, ela conseguia burlar as tarefas domésticas e desfrutava o prazer de estar na mata. “Em casa, eu desdobrava mãe. E quando ia pra escola, combinava com os colegas. Eles me passavam depois o dever, eu copiava e dava Continue lendo Dona Dina, a vaqueira