Igreja de Nossa Senhora da Penha, Matriz do Crato

A Catedral de Nossa Senhora da Penha da França de Crato é a Catedral do bispado da Diocese de Crato. Foi construída em 1745 e reformada em 1817, quando foi inaugurada a sede atual, que ganhou o status de catedral em 1914, quando foi criada a diocese de Crato. Em 2010, recebeu uma nova capela. Em março de 1762, a capela ganhou status de Igreja Matriz em face da criação da Paróquia de Nossa Senhora da Penha, desmembrada da Paróquia de São José dos Cariris Novos de Missão Velha. Mas a instalação da nova paróquia só ocorreu em 4 de Continue lendo Igreja de Nossa Senhora da Penha, Matriz do Crato

Igreja de Nossa Senhora de Fátima, em Fortaleza

No dia 13 de maio de 1947, saindo da Cova da Iria, onde a Senhora aparecera aos três pastores, dá-se inicio à peregrinação da imagem de Nossa Senhora, a qual foi oferecida pelo Bispo de Leiria, e esculpida de conformidade com a descrição de Lúcia. Após percorrer vários países da Europa, e alguns estados do Brasil, a imagem peregrina chega a Fortaleza. Era o dia 09 de outubro de 1952. A recepção foi a maior até hoje havida em terras cearenses. Faixas, ruas enfeitadas, bandeirinhas aos milhares tremulando ao vento, casas ornamentadas com flores, para saudar a Rainha do Céu, Continue lendo Igreja de Nossa Senhora de Fátima, em Fortaleza

Igreja de Nossa Senhora da Conceição, em Pacoti

Construída em 1885, a Igreja de Nossa Senhora da Conceição é uma das mais antigas edificações da cidade. Conta-se que o povoado de Pendência nasceu ao redor desta matriz, que depois de muito tempo foi elevada a cidade. Teve como primeiro vigário o Padre Constantino Matos. Com características coloniais passou por reforma durante a gestão do Padre Erfo. Nela está sepultado um dos maiores benfeitores do Município de Pacoti, o Alemão Padre Quiliano (Fridollin Mithnat), que passou quase toda sua vida aqui, trazendo recursos para ajudar as pessoas carentes. Ajudou a construir o Hospital Padre Quiliano, o Instituto Maria Imaculada Continue lendo Igreja de Nossa Senhora da Conceição, em Pacoti

Igreja de São Pedro dos Pescadores

Embora São Pedro dê nome à igreja, a história da fé na região começa em Nossa Senhora da Saúde, santa que estimulou a construção de igrejas na área. No século XIX, Fortaleza sofreu com a peste bubônica e o Mucuripe foi um dos bairros mais afetados. As vítimas eram tantas que elas tinham que ser enterradas por ali mesmo, no Morro do Teixeira. A população estava desesperada quando chegou uma mulher do Rio de Janeiro com uma santa, identificada como Nossa Senhora da Saúde. Mais tarde, como pagamento de promessa, a santa recebeu uma capela em sua homenagem. A pedra Continue lendo Igreja de São Pedro dos Pescadores

Igreja Nossa Senhora da Expectação

  Primeira construção edificada na cidade de Icó, por volta de 1709. Erigida para sepultar os restos mortais da filha do coronel Francisco Monte e Silva, assassinada por ocasião da briga entre os Montes e os Feitosas. A jovem foi enterrada no campo, a mãe, inconsolável com o local onde a filha estava enterrada, pediu ao marido que construísse uma capelinha para enterrar a filha. O Coronel Monte e Silva e sua esposa construíram a capelinha, para a qual deram o nome da protetora Nossa Senhora do Ó, onde depositaram os restos mortais da filha. Com a falta de Igrejas Continue lendo Igreja Nossa Senhora da Expectação

A IGREJA DOS ALBANOS

IGREJA DOS ALBANOS A igreja situada em frente ao parque da criança, era um belíssimo templo. A primeira pedra dessa edificação foi assentada em 25 de setembro de 1878, por iniciativa do Barão e Baronesa de Aratanha e recebeu o nome de “Igreja do Sagrado Coração de Jesus”, mas era conhecida como “A Igreja dos Albanos”. A seca que durou de 1877 a 1879, trouxe os sertanejos para a capital e acumulavam-se aos milhares. A mão de obra era baratissima, e aquela construção era um meio de proporcionar trabalho aos infelizes famintos. O governo contribuiu com metade dos tijolos fabricados Continue lendo A IGREJA DOS ALBANOS

IGREJA DO ROSÁRIO

Em 1730 um negro escravo africano tomou a iniciativa de erguer uma capelinha de taipa e palha no mesmo lugar da atual. Em 1742 o Padre Gomes Correia recomendou que os senhores de escravos permitissem que estes trabalhassem na manutenção e fizessem devoções na igrejinha. Em 27 de outubro de 1747 foi realizada ali a  primeira festa da padroeira.  Em 1848, houve eleição dentro da Igreja do Rosário, com conflito grave que resultou em derramamento de sangue dentro do recinto. Em 1855 foi restaurada novamente pois estava deteriorada e em 1872 foram necessárias novas obras e como estavam esgotados os recursos da Continue lendo IGREJA DO ROSÁRIO

Igreja São José de Ribamar – Aquiráz

Construída no século XVIII, o templo apresenta ecletismo no estilo, predominando os traços barrocos e neoclássicos, frutos das várias modificações que passou ao longo dos anos. Alguns detalhes, ainda originais, impressionam por sua beleza e requinte.      São eles, dentre outros; As três grandes portas almofadadas da entrada principal, o púlpito de madeira lavrada e os painéis pintados no forro da capela-mor, os quais provavelmente foram obras de índios catequizados.     Destaca-se no nicho central do altar-mor a imagem do padroeiro São José de Ribamar, calçado de botas, relembrando o bandeirante audaz.      Segundo a lenda, ela foi Continue lendo Igreja São José de Ribamar – Aquiráz

A Catedral de Fortaleza

A primeira capela-mor da Matriz de Fortaleza teve sua construção autorizada pela Ordem Régia de 12 de fevereiro de 1746. Em 12 de janeiro de 1795 o Padre Antônio José Álvares de Carvalho, então vigário geral, contratou José Gonçalves Ramos para terminar a obra. Em 1821, a Matriz de São José estava em ruínas, precisando ser reconstruída. A vila cresceu para o lado da igreja do Rosário e então foram passadas para esta, em procissão, o Santíssimo Sacramento e todas as imagens, passando ela a funcionar como Matriz até 2 de abril de 1854 quando as imagens voltaram à Matriz Continue lendo A Catedral de Fortaleza

A PARÓQUIA DE SÃO FRANCISCO DE CANINDÉ – PARTE 2

A vila de Canindé era uma das maiores do estado, com 350 casas de tijolo e alguns edifícios, sendo o mais importante a Matriz, frequentado todos os anos por 4 a 5 mil peregrinos, que vinham de quase todos os Estados do Brasil, principalmente do Amazonas, Pará, Maranhão, Piauí, Rio Grande do Norte e Paraíba. Tinha mais uma Igreja, a de Nossa Senhora das Dores, dois cemitérios públicos, um grande prédio edificado por ordem do Bispo Diocesano, onde estão expostos os ex-votos trazidos pelos romeiros, três pequenos açudes. A cadeia pública e o mercado eram de propriedade particular, alugados aos Continue lendo A PARÓQUIA DE SÃO FRANCISCO DE CANINDÉ – PARTE 2