Guilherme Rocha

Guilherme Cesar da Rocha nasceu em Fortaleza a 16 de Agosto de 1846 e faleceu em julho de 1928. Era filho de Manoel Antonio da Rocha Júnior, negociante e Cônsul da Bélgica, falecido em 20 de Agosto de 1871, e de Joaquina Mendes da Rocha, nascida em Canindé no dia 04 de Março de 1819 e falecida em Fortaleza a 10 de Março de 1882, irmã dos Coronéis Joaquim e José Mendes da Cruz Guimarães. Depois de ter feito os estudos preparatórios no Colégio dos Padres Paiva, no Rio Comprido, Rio de Janeiro, para onde foi em 1856, matriculou-se na Continue lendo Guilherme Rocha

Jerônimo Martiniano Figueira de Melo

Jerônimo Martiniano Figueira de Melo (grafia original: Jeronymo Martiniano Figueira de Mello) nasceu em Sobral, no dia 19 de abril de 1809 e faleceu no Rio de Janeiro, 20 de agosto de 1878. Foi o primogênito dos oito filhos do capitão pernambucano Jerônimo José Figueira de Melo e de Maria do Livramento Monte. Irmão de João Capistrano Bandeira de Melo e tio do ex-senador Viriato de Medeiros e do Visconde de Saboia, dentre outros. Figura entre os primeiros bacharéis formados pela Faculdade de Direito de Olinda, em 1832, sendo seus condiscípulos Nabuco, Ferreira de Aguiar e Eusébio de Queirós. Iniciou Continue lendo Jerônimo Martiniano Figueira de Melo

Engenhos de cana-de-açúcar

Uma usina (do francês usine), engenho de açúcar ou simplesmente engenho (do latim ingeniu) é, stricto sensu, a moenda de cana-de-açúcar. Lato sensu, designa todo o estabelecimento agroindustrial especializado na transformação da cana-sacarina em açúcar, melaço, aguardente de cana e etanol. Os modelos de engenho central e usina passaram a ser utilizados no final do século XIX quando houve necessidade de desativar os antigos engenhos das fazendas e produzir açúcar em uma planta industrial moderna com economia de escala e controle de qualidade rigoroso. O primeiro engenho de açúcar registrado em território português pertenceu a Diogo Vaz de Teive, escudeiro Continue lendo Engenhos de cana-de-açúcar

Paçoca de carne de sol

O termo “paçoca” procede do termo tupi pa’soka, termo este formado pela junção de paba, terminar, com soka, socar, numa alusão ao modo como era originalmente feita: enfiando a paçoca (farinha com carne) com carne em um moinho. No Nordeste é um prato tradicional, em alguns casos, ainda feito da forma primitiva, socando a carne de sol e a farinha de mandioca no pilão. Está presente no dia a dia do mesa do cearense e é encontrada em todos os restaurantes regionais, respeitando a receita original, feita com a carne de sol frita, temperada com cebola, alho e sal. Pode Continue lendo Paçoca de carne de sol

Casimiro Ribeiro Brasil Montenegro

Casimiro Ribeiro Brasil Montenegro nasceu em Parangaba, no dia 03 de janeiro de 1864 e faleceu em Fortaleza, no dia 30 de março de 1947. Foi o último intendente e o primeiro prefeito da cidade de Fortaleza, tendo exercido seu mandato de 1914 a 1918. Foi também coronel da Guarda Nacional. Estudou no Liceu do Ceará e foi um importante maçom cearense, tendo sido iniciado em 1899 na Loja Fraternidade Cearense. Em 1905 foi um dos fundadores e primeiro Venerável da Loja Porangaba nº2, uma das lojas fundadoras da Grande Loja Maçônica do Ceará. Foi casado com Maria Emília Pio Continue lendo Casimiro Ribeiro Brasil Montenegro

Banabuiú

Banabuiú está localizado no sertão central do Ceará e fica a 225 km de Fortaleza. O topônimo banabuiú vem do tupi guarani: bana (borboleta) e buy ou puyú (brejo), que significa brejo das borboletas. De acordo com Tomás Pompeu de Sousa Brasil, banabuiú significa “rio que tem muitas voltas”: bana (que torce, volteia) bui (muito, em excesso), e u (água, rio). Sua denominação original era Poço Preto, depois Laranjeira e desde 1943, Banabuiú. Boa parte do desenvolvimento da cidade, que fica distante 228 Km de Fortaleza, deve-se à construção do Açude Arrojado Lisboa, pelo Departamento Nacional de Obras Contra às Continue lendo Banabuiú

Ildefonso Albano

Ildefonso Albano nasceu em Fortaleza, no dia 12 de fevereiro de 1885 e faleceu no Rio de Janeiro, em 22 de dezembro de 1957. Era filho de José Albano Filho e de Maria de Abreu Albano. Era neto de José Francisco da Silva Albano, o Barão de Aratanha. Estudou no Seminário de Fortaleza, tendo completado sua formação escolar na Inglaterra e na Áustria. Ao voltar da Europa, onde se dedicara ao estudo do algodão e da tecelagem, assumiu o cargo de gerente da firma Albano & Irmão. Cursou até o terceiro ano da Faculdade de Direito do Ceará, mas não Continue lendo Ildefonso Albano

Cariré

Cariré é uma cidade cearense e está localizada a 500 km de Fortaleza. O topônimo Cariré, segundo Pompeu Sobrinho, vem do Tupi Guarani e pode ter dois significados: – CARI (peixe) e RÉ (diferente) que significa: pseudo cari ou cari diferente; – CA ou CAI (queimada) e RIRÉ (depois), que significa: depois da mata ou terra depois da zona da mata. Sua denominação original não sofreu nenhuma variação desde a sua criação. As terras as margens do rio Acaraú eram habitadas por diversas etnias indígenas, como os Tupinambás e os Areriús. Com a expansão da Estrada de Ferro de Sobral-Camocim Continue lendo Cariré

Mestra Margarida Guerreiro

Nome: Maria Margarida da Conceição (Mestra Margarida Guerreiro) Data de nascimento: 21/06/1935 em Alagoas Atividade: Reisado Cidade: Juazeiro do Norte (CE) Ano da nomeação: 2004 Da sua infância em Alagoas, trouxe influência para fundar em Juazeiro o grupo “As Guerreiras de Joana d’Arc”, reisado formado exclusivamente por mulheres, e três treme-terra. Os blocos de moças com espadas resistem, cantando e dançando a arte do povo nordestino. Maria Margarida da Conceição é natural de Alagoas, Maceió. Conhecida como Margarida Guerreiro, ela chegou ao Cariri aos oito anos. Havia vivenciado as artes populares na terra natal e, residindo em Juazeiro do Norte, Continue lendo Mestra Margarida Guerreiro

As Benzedeiras ou Rezadeiras

O ritual se reveste de mistérios. Símbolos sagrados, rezas, rosários, sal, água benta, cordão e nomes de santos envolvem o solo sagrado da casa das rezadeiras. Nos remete às divindades protetoras de origem africana, indígena e europeia. Imagens de santos espalhadas pelas paredes mostram o sincretismo religioso. Mãos ágeis sustentam ramos verdes e pequenos. Traçam no ar cruzes sobre a cabeça do doente. Tecem um fio invisível, poderoso, unindo as dores dos homens, mazelas sem fim à magia do benzimento. Ramos murcham, absorvem o espírito da doença. As orações invocam a santíssima trindade, não permitem cruzar pés e mãos para Continue lendo As Benzedeiras ou Rezadeiras

Mestra Maria Cândido

Nome: Maria de Lourdes Cândido Monteiro (Mestra Maria Cândido) Data de nascimento: 11/02/1939 Atividade: Artesanato em barro Cidade: Juazeiro do Norte (CE) Ano da nomeação: 2004 É uma das maiores artesãs do Brasil e aclamada por desenvolver peças de barro com os mais variados temas, como sagrado, profano, festas populares e histórias de aventura. Suas obras já percorreram a Alemanha, a França, a Holanda e os Estados Unidos. Maria de Lourdes Cândido Monteiro, natural de Juazeiro do Norte, foi titulada mestre da cultura em 2004 em reconhecimento a seu trabalho artístico com o barro cozido. É casada com João Cândido Continue lendo Mestra Maria Cândido

Jurema

A Jurema é uma planta da família das leguminosas, comum no Nordeste brasileiro, com propriedades psicoativas. A família das leguminosas possui importantes espécies cultivadas para alimentação, inclusive do nordestino (Mangalô, Andu, Algaroba, além de Feijões de diversas espécies incluindo a Soja) também exerce importante função ecológica por abrigar espécies de bactérias nitrificantes, ou seja, que fixam nitrogênio, essencial para a vida, no solo. Atinge de 4-5m de altura, dotada de copa rala e irregular. O tronco atinge de 20 a 30 cm de diâmetro, muito espinhento, levemente inclinado e revestido por casca grosseira que se desprende em lâminas estreitas que Continue lendo Jurema

Universidade Estadual do Ceará (UECE)

A Universidade Estadual do Ceará (UECE) é uma universidade pública, com atuação em ensino, pesquisa e extensão, mantida pela Fundação Universidade Estadual do Ceará (FUNECE). A instituição é uma das três universidades mantidas pelo governo do estado do Ceará, ao lado da Universidade Estadual Vale do Acaraú (UEVA) e da Universidade Regional do Cariri (URCA). Seu principal campus é o Campus do Itaperi, que está localizado no bairro do Itaperi, na cidade de Fortaleza. A universidade conta ainda com campi no Bairro de Fátima, em Fortaleza, e nas cidades de Mombaça, Limoeiro do Norte, Itapipoca, Tauá, Crateús, Quixadá e Iguatu. Continue lendo Universidade Estadual do Ceará (UECE)

Dona Luiza Távora

Filha de Luiz Moraes Correa, professor da Faculdade de Direito do Ceará, e adepto da filosofia teosofista, e de Esmerina Silva Correia, Luíza Silva Moraes Correia, nascida em 01 de julho de 1923, era uma dos 15 filhos do casal. Faleceu no dia 14 de fevereiro de 1992. Seu primeiro emprego foi como secretária do então Secretário de Educação Dr. Valmik Sampaio de Albuquerque. Nessa época seu pai veio a falecer, deixando a mãe com a responsabilidade da criação de todos os filhos, papel que desempenhou com muita responsabilidade. Casou em 1953 Virgílio de Morais Fernandes Távora, passando a se Continue lendo Dona Luiza Távora

Mestre Bigode

Nome: Manoel Antônio da Silva (Mestre Bigode) Data de nascimento: 04/07/1923 Data de falecimento: 12/08/2017 Atividade: Maneiro-pau Cidade: Juazeiro do Norte (CE) Ano da nomeação: 2004 Mestre Bigode era filho do agricultor José Antônio da Silva e da parteira Maria Luísa da Silva. Começou a alegrar as festas da padroeira Nossa Senhora das Dores e o imaginário popular da região do Cariri, em 1942. Na década de 1970, criou o grupo de bacamarteiros que até hoje anima festas populares com grandes salvas de tiros. Sempre participou do Encontro Mestres do Mundo, promovido anualmente pela Secretaria da Cultura do Estado do Continue lendo Mestre Bigode