Dona Luiza Távora

Filha de Luiz Moraes Correa, professor da Faculdade de Direito do Ceará, e adepto da filosofia teosofista, e de Esmerina Silva Correia, Luíza Silva Moraes Correia, nascida em 01 de julho de 1923, era uma dos 15 filhos do casal. Faleceu no dia 14 de fevereiro de 1992. Seu primeiro emprego foi como secretária do então Secretário de Educação Dr. Valmik Sampaio de Albuquerque. Nessa época seu pai veio a falecer, deixando a mãe com a responsabilidade da criação de todos os filhos, papel que desempenhou com muita responsabilidade. Casou em 1953 Virgílio de Morais Fernandes Távora, passando a se Continue lendo Dona Luiza Távora

Mestre Bigode

Nome: Manoel Antônio da Silva (Mestre Bigode) Data de nascimento: 04/07/1923 Data de falecimento: 12/08/2017 Atividade: Maneiro-pau Cidade: Juazeiro do Norte (CE) Ano da nomeação: 2004 Mestre Bigode era filho do agricultor José Antônio da Silva e da parteira Maria Luísa da Silva. Começou a alegrar as festas da padroeira Nossa Senhora das Dores e o imaginário popular da região do Cariri, em 1942. Na década de 1970, criou o grupo de bacamarteiros que até hoje anima festas populares com grandes salvas de tiros. Sempre participou do Encontro Mestres do Mundo, promovido anualmente pela Secretaria da Cultura do Estado do Continue lendo Mestre Bigode

Governador Sampaio

Manuel Inácio de Sampaio e Pina Freire nasceu em Portugal, no dia 07 de agosto de 1778 e faleceu em 07 de agosto de 1856. Era filho de Inácio José de Sampaio e Pina Freire de Andrade e Angélica Inácia Pereira de Aguirre. Foi governador-geral da capitania do Ceará, de 1812 a 1820. Durante sua gestão no Ceará agilizou a urbanização de Fortaleza, através dos projetos de seu ajudante de ordens, o engenheiro militar Silva Paulet. Tomou posse no cargo de governador do Ceará, em 19 de março de 1812. Ficou conhecido tanto pelas iniciativas que impulsionaram o progresso da Continue lendo Governador Sampaio

Acarape

Acarape está localizado na Região Imediata de Redenção-Acarape, Região Intermediária de Fortaleza. Faz parte do Maciço de Baturité. Está distante 61,8km de capital, Fortaleza com acesso principal pela rodovia CE-060. O topônimo Acarape vem do tupi acarás e significa: de acara pé (caminho dos acarás, canal do peixe ou caminho das garças). Sua denominação original era Calaboca, e desde 1926, Acarape. Em 1868, Acarape foi elevado à categoria de vila, sendo desmembrado de Baturité, mas só foi instalado em 1841. Depois o distrito de Cala Boca torna-se o primeiro distrito de Acarape. Em 1933, Acarape é rebaixado à distrito de Continue lendo Acarape

Karim Aïnouz

Karim Aïnouz nasceu em Fortaleza, no dia 17 de janeiro de 1966. Filho de mãe cearense com pai argelino. É um roteirista, diretor de cinema e artista visual, mais conhecido pelos filmes Madame Satã, O Céu de Suely e Praia do Futuro. Karim Aïnouz iniciou sua carreira no cinema como co-roteirista de filmes nacionais, como Abril Despedaçado (2001) de Walter Salles, Cinema, Aspirinas e Urubus (2005), de Marcelo Gomes, e Cidade Baixa (2005), de Sérgio Machado. O primeiro longa-metragem de Aïnouz, Madame Satã (2002), estreou na mostra Un Certain Regard do Festival de Cinema de Cannes em 2002. Como palestrante, Continue lendo Karim Aïnouz

Mestra Lúcia Pequeno

Nome: Lúcia Rodrigues da Silva (Mestra Lúcia Pequeno) Data de nascimento: 24/12/1959 Atividade: Cerâmica em barro Cidade: Limoeiro do Norte (CE) Ano da nomeação: 2004 É especialista na fabricação de peças de barro desde os dez anos de idade. A tradição teve início com Zé Pequeno, há mais de 50 anos. O ceramista deixou seu legado para as filhas Raimunda, Lúcia e Maria, da comunidade de Córrego de Areia, em Limoeiro do Norte. Lúcia Rodrigues da Silva, a mestre da Cultura Lúcia Pequeno, irmã de Maria e Raimunda, filhas de Zé Pequeno, conhecido artesão que deu às filhas, ainda crianças, Continue lendo Mestra Lúcia Pequeno

Cemitério São João Batista em Fortaleza

Com arquitetura inspirada nos cemitérios franceses e inaugurado em 1866, o cemitério São João Batista tem 95 mil m² em 2019, completa 153 anos. Sua administração fica a cargo da Santa Casa de Fortaleza que, por lei provincial de 1860, já era responsável pela gestão do São Casimiro. Poucos sabem, mas quem visita o São João Batista tem a possibilidade de aprender muito sobre a história de Fortaleza. Barão de Studart, Frei Tito, Tristão Gonçalves e Virgílio Távora, além de famílias tradicionais como Jereissati e Vidal Queiroz, são apenas algumas entre as personalidades sepultadas no local. Datas comemorativas como Dia dos Continue lendo Cemitério São João Batista em Fortaleza

Mestre Antônio Luiz

Nome: Antônio Luiz de Souza (Mestre Antônio Luiz) Data de nascimento: 21/9/1957 Atividade: reisado de caretas Cidade: Potengi (CE) Ano da nomeação: 2010 Tornou-se brincante do reisado de caretas em 1980. A atividade estava em vias de acabar, no Sítio Assaré, quando Mestre Antônio Luiz passou a organizar o reisado. Hoje o reisado de caretas de Potengi é uma referência para a região. Filho de Luiz Gonzaga de Souza e Neuza Francisca de Souza, Antônio Luiz de Souza, o Mestre Antônio Luiz nasceu em Potengi, em 1957, cidade onde mora até hoje. Aos 61 anos, é referência como Mestre de Continue lendo Mestre Antônio Luiz

Ceará Republicano

Fonte: Fundação Demócrito Rocha Jaqueline Aragão Cordeiro COISA DE CEARENSE

Ceará Imperial

Os anos que sucederam a proclamação da Independência no Brasil foram marcados por muitos conflitos. No Ceará e estados vizinhos, as batalhas do Jenipapo e a Confederação do Equador ajudaram a definir a composição geográfica e política da região. Seus personagens emblemáticos como Barbara de Alencar, Tristão Gonçalves e Padre Mororó viraram exemplos de resistência política em uma época em que a repressão era silenciada com pena capital. O mito de que não havia negros do Ceará foi desfeito com a luta dos jangadeiros e do Dragão do Mar. A abolição da escravatura marca o declínio do Período Imperial e Continue lendo Ceará Imperial

Ceará Colonial

De 1.500 até 1.822, os portugueses chegaram oficialmente no Brasil e marcaram o que conhecemos hoje como Período Colonial. Era uma época de batalhas entre holandeses, portugueses e nativos indígenas pelo domínio das terras. O Ceará testemunhou a sucessão de ciclos econômicos e incorporou essa ​mistura de elementos em sua cultura, que permanece enraizada no povo até os dias de hoje. Fonte: Fundação Demócrito Rocha Jaqueline Aragão Cordeiro COISA DE CEARENSE

Igreja do Patrocício

Em 1849, Luiz de França Carvalho, foi baleado no joelho por Fortunato José da Rocha, que pretendia atingir o capitão Jacarandá, que na ocasião conversava com o amigo Luiz França, todos eram militares. Este, vendo sua vida em perigo, fez uma promessa a Nossa Senhora do Patrocínio, e em agradecimento, mandou construir uma Igreja em sua honra. No dia 02 de fevereiro de 1850 foi lançada a pedra fundamental. A planta da igreja é do mestre Antonio da Rosa e Oliveira. A igreja levou cinco anos para ser construída, e só foi finalizada, graças ao esforço do Cônego João Paulo Continue lendo Igreja do Patrocício

Chagas dos Carneiros

Essa é a estória do cego chamado Chagas, que aqui morou no início do século XX e era náufrago do navio “Baía”, que afundou entre a Paraíba e Pernambuco. Era um homem alto e magro que vestia um camisolão de algodão branco e ceroulas amarradas nos tornozelos. Usava um chapéu de palha de carnaúba com tranças superpostas e, no pescoço, escapulários, rosários e terços. Numa das mãos trazia um varapau de jucá e na outra um cabresto do carneiro que lhe servia de guia. Seguia-lhe um bando de caprinos que lhe obedeciam prontamente. Chagas sentava-se nos meios-fios das esquinas e Continue lendo Chagas dos Carneiros

Museus Orgânicos dos Mestres de Cultura

O Museu é um espaço que conserva, difunde e expõe os testemunhos materiais do homem e de seu entorno, para educação e apreciação da sociedade, é o que diz o Conselho Internacional de Museus (International Council of Museums). Com base na definição clássica difundida na atualidade e ao mesmo tempo inovando para colaborar ainda mais com as formas de expressividade humana, o Sistema Fecomércio / Sesc Ceará, reconhece um novo tipo de Museu: o orgânico, baseado no vínculo com a história e dos lugares onde vivem os mestres de cultura popular. Objetos pessoais, fotografias, vestimentas, instrumentos e tudo que marca Continue lendo Museus Orgânicos dos Mestres de Cultura

O primeiro automóvel do Ceará

O primeiro automóvel de Fortaleza, veio dos Estados Unidos no vapor “Cearense” e desembarcou no cais do porto no dia 26 de março de 1909. Era um veículo de segunda mão, da marca Rambler, comprado pela Auto Transporte, de propriedade do Dr. Meton de Alencar e de Julio Pinto, também proprietários do Cassino Cearense (Cinema Julio Pinto). Não houve quem não parasse para ver, no trajeto da Alfândega até o edifício do Cinema Julio Pinto, aquele automóvel sendo puxado por um pobre jumento, pois ninguém sabia como ligar o motor. Pela empresa compradora, John Peter Bernard acompanhava o carro. Depois, Continue lendo O primeiro automóvel do Ceará