Rio Jaguaribe, o maior rio seco do mundo

O nome “Jaguaribe” vem do termo tupi îagûarype, que significa “no rio das onças”. No seu leito, foram construídos os dois grandes açudes cearenses: o Orós e o Castanhão. Sua bacia hidrográfica está situada em sua quase totalidade dentro dos limites do estado do Ceará, com ínfima parcela estendendo-se ao sul para o estado de Pernambuco, ocupando parte dos municípios de Exu, Moreilândia e Serrita. Ocupa cerca de 51,9% da área total do estado, o que equivale a, aproximadamente, 75 669 km². As cabeceiras de suas sub-bacias servem de limite entre o Ceará e os estados do Piauí, Pernambuco, Paraíba Continue lendo Rio Jaguaribe, o maior rio seco do mundo

Açude Araras

O açude Paulo Sarasate ou Açude Araras está localizado no município de Reriutaba, a cerca de 250 km da cidade de Fortaleza e tem capacidade para 1.000.000.000m³ de água. Barra o rio Acaraú, pertencente ao sistema do mesmo nome. A sua bacia hidrográfica cobre uma área de 3.520 km2. Os estudos de projeto tiveram início no ano de 1920 e, após uma série de paralisações, foram concluídos no ano de 1938. Posteriormente foi projetada e construída pelo Departamento Nacional de Obras Contra as Secas – DNOCS, com a consultoria da Cementation do Brasil S.A. – Engenharia Geral. As obras civis Continue lendo Açude Araras

Açude Orós

  O Açude de Orós está localizado no leito do rio Jaguaribe, na região centro-sul do Ceará.   Sua história remonta à época do Brasil Império, quando várias secas se sucederam dizimando um número grande de pessoas e animais. Represar o rio Jaguaribe e fazê-lo perene surgiu como a alternativa mais viável para solucionar o problema da escassez de água no sertão cearense. No entanto, esta ideia só foi colocada em prática no século XX. Ao ser construído, esse reservatório chegou a inundar vilarejos próximos ao leito do rio, dentre eles o mais famoso: Conceição do Buraco, hoje Guassussê. Foi Continue lendo Açude Orós

Açude Pentecoste

A barragem Pereira de Miranda, do Açude Pentecoste, está localizada no município de Pentecoste, a cerca de 85 km da cidade de Fortaleza. Barra o rio Canindé, sistema do rio Curu. A sua bacia hidrográfica cobre uma área de 2.840 km2. A barragem tem como finalidades: o controle das cheias do rio Canindé; a regularização do rio Curu; a irrigação das terras de jusante, coadjuvada pelas águas armazenadas no Açude General Sampaio; a geração de energia elétrica; a piscicultura e o aproveitamento para culturas nas áreas de montante. Foi projetada e construída pelo Departamento Nacional de Obras Contra as Secas Continue lendo Açude Pentecoste

Açude Banabuiú

A barragem Arrojado Lisboa, do Açude Banabuiú, está localizada no município de Banabuiú, a cerca de 230 km de Fortaleza. Barra o rio Banabuiú, pertencente ao sistema do rio Jaguaribe.   A sua bacia hidrográfica cobre uma área de 13.500 km2. Tem como finalidades: irrigação das terras do Baixo Jaguaribe, onde se destaca o Projeto de Irrigação Morada Nova, com cerca de 10.000 hectares irrigáveis; controle das cheias do rio Banabuiú; piscicultura e aproveitamento das áreas de montante. Projetada e construída pelo DNOCS, com a participação do consultor Professor Casemiro José Munarski e do Laboratório Hidrotécnico Saturnino de Brito. A construção Continue lendo Açude Banabuiú

Açude Caxitoré

A barragem do Açude Caxitoré barra o rio Caxitoré no município de Pentecoste, a cerca de 95 km de Fortaleza. O acesso a partir da capital se faz pela BR-222 até a localidade de Croatá, e daí até Pentecoste pela CE-135. De Pentecoste até o local a distância é de 11 km.O lago formado tem uma superfície com cerca de 4.574 ha e um volume de acumulação de 202 x 106 m³. No local existe um potencial energético de 500 CV capaz de irrigar 2.200 ha. O aproveitamento hidrelétrico encontra-se atualmente desativado. O rio Caxitoré mede 75 km desde sua Continue lendo Açude Caxitoré

Açude Lima Campos

O Açude Lima Campos está localizado no leito do rio São João, pertencente à Bacia do rio Salgado, no município de Icó, região centro-sul do Ceará. Foi construído entre abril e dezembro de 1932 com a finalidade de socorrer a população de sertanejos dizimados pela grande seca de 1932. Flagelados foram aproveitados nas obras que o Ministério de Viação e Obras Públicas implementava não só no Ceará, mas em vários Estados Nordestinos. O projeto do Açude Lima Campos tem como finalidade o aproveitamento das várzeas do lcó, situadas no vale do rio Salgado. Pouco antes da confluência deste último com o Continue lendo Açude Lima Campos

Açude General Sampaio

Com a grande seca que assolou o Ceará em 1932, deu-se início no Boqueirão da Mãe Teresa a construção da barragem do Açude General Sampaio, sobre o leito do rio Curu. A barragem foi projetada e construída pela Inspetoria Federal de Obras Contra as Secas – IFOCS, hoje DNOCS. Essa obra atrai milhares de pessoas ao local, sertanejos famintos e desnutridos corriam atrás de emprego e uma forma de sobreviver ao flagelo da seca, logo se formou um grande acampamento, ao mesmo tempo, o DNOCS construía casas de alvenaria, dando um impulso urbano ao local. Contudo, a ocorrência de uma epidemia Continue lendo Açude General Sampaio

Açude Castanhão – E o sertão virou mar

O Açude Castanhão é um açude construído sobre o leito do rio Jaguaribe, no Ceará. Ele é, portanto uma represa, tecnicamente falando. A barragem está localizada em Alto Santo, embora atinja outros municípios. A obra foi iniciada em 1995, durante o governo de Tasso Jereissati, e concluída em 2003, pelo governador Beni, numa parceria entre a Secretaria de Recursos Hídricos do Ceará – SRH-CE e o Departamento Nacional de Obras Contra as Secas – DNOCS. Durante a construção do açude foi necessário remover a antiga sede do município de Jaguaribara, que ficou sob as águas. Em substituição à cidade submersa, Continue lendo Açude Castanhão – E o sertão virou mar

Açudes, Patrimônio Hídrico Nordestino

As águas das chuvas seguem três caminhos diferentes: Evaporação, infiltração e escoamento. A evaporação no semiárido é avassaladora, chegando a mais de 80%, no momento da precipitação. A infiltração varia de 10 a 15%, o escoamento é o de águas superficiais, formadoras dos riachos, que varia de 10 a 20%, mas á baixíssimo o índice de armazenamento, geralmente 1% do volume afluente médio anual. Apesar de índices tão baixos, os reservatórios acumulam grande volume de água, com milhões e bilhões de metros cúbicos, como o Castanhão (CE), um açude oceânico que pode ser visto da lua. Os açudes somam hoje Continue lendo Açudes, Patrimônio Hídrico Nordestino