Gaiatice

Jaqueline Arag√£o Cordeiro

Francisco Dias da Rocha

Francisco Dias da Rocha nasceu em Fortaleza, no dia 23 de Agosto de 1869 e faleceu em Fortaleza, no dia 22 de julho de 1960. Era filho do negociante português Joaquim Dias da Rocha e Francisca de Paula Rocha, seus avós paternos eram Maximiano Dias da Rocha e Maria José Pinheiro Chagas, prima legítima do escritor Pinheiro Chagas; e seus avós maternos, o professor Francisco de Paula Cavalcante e Cosma Rufina de Pontes. Dias da Rocha foi comerciante, pesquisador, professor e cientista. Começou seus estudos em 1880 nos colégios São José e Atheneu Cearense, mas teve de os suspender em Continue lendo Francisco Dias da Rocha

Coisa de Cearense

Jaqueline Arag√£o Cordeiro

Santu√°rio de Nossa Senhora de F√°tima da Serra Grande

Dedicado a Nossa Senhora de F√°tima, uma das devo√ß√Ķes mais queridas do povo cearense. Este santu√°rio ser√° um dos maiores do Nordeste do Brasil. O que nos d√° esta certeza √© o grande n√ļmero de romeiros que visitam este santu√°rio, apesar de ser ainda um canteiro de obras, j√° √© um centro de romarias, atraindo mais de quinze mil fi√©is a cada m√™s. Pessoas vindas de diversas localidades j√° fazem aqui suas promessas e cumprem seus votos. E o mais incr√≠vel, √© a marca da partilha que caracteriza a constru√ß√£o deste santu√°rio. Toda a obra, or√ßada em 12 milh√Ķes, esta Continue lendo Santu√°rio de Nossa Senhora de F√°tima da Serra Grande

Igrejinha do Ipu

A Igrejinha de São Sebastião do Ipu teve sua construção iniciada por D. Joana Paula Vieira Mimosa que aqui chegando tratou logo de catequizar os viventes do lugar. Já existia o arraial com casas de chão de barro batido construídas com o auxilio de alguns portugueses e pernambucanos que aqui aportaram. D. Joana de Paula Vieira Mimosa, a nossa desbravadora, a mulher que recebera das Cortes de Lisboa 20 léguas de terra, dentre as quais fez a doação de uma légua para Ipu. D. Joana era uma mulher enérgica a habilidosa, começou a sua catequese com o nosso primitivo РContinue lendo Igrejinha do Ipu

O casar√£o mal assobrado de Pereiro

Jaqueline Arag√£o Cordeiro

Ipu

Ipu nasceu √†s margens do riacho Ipu√ßaba, cuja nascente fica no s√≠tio S√£o Paulo, neste Munic√≠pio e fica a 257 km de Fortaleza. No seu percurso forma no rochedo da Ibiapaba a linfa cor de Prata chamada Bica do Ipu, se desprendendo de uma altitude de 120 metros formando na sua queda a imagem de um verdadeiro V√©u de Noiva como diz a can√ß√£o de Zez√© do Vale. Nas imedia√ß√Ķes do Riacho se formaram plantios de cana-de-a√ß√ļcar, bananeiras e outros. O pequeno c√≥rrego inspirou muitos de nossos poetas. IPU est√° localizada em partes de 20 l√©guas de terra doadas √† Continue lendo Ipu

Tau√°

Em 1708, Louren√ßo Alves Feitosa recebeu uma sesmaria situada nas ribeiras do rio Juc√°s, para o estabelecimento de uma fazenda. As sesmarias eram terras dadas pelos reis de Portugal para quem quisesse cultiv√°-las. Dez anos mais tarde, o capit√£o Lu√≠s Coelho Vital foi chamado para conquistar e povoar uma larga e extensa faixa de terra dentro daquela sesmaria, nos famosos Sert√Ķes dos Inhamuns. Anos mais tarde, precisamente em 13 de mar√ßo de 1724, Louren√ßo Alves Feitosa recebeu do atual dirigente da Capitania do Cear√° Grande, Manuel Fran√ßois, mais tr√™s l√©guas de terras situadas nos caminhos dos Inhamuns. Nessa mesma √©poca, Continue lendo Tau√°

Coisa de cearense

Coisa de cearense