Antônio Henrique da Justa

Antônio Henrique da Justa nasceu em Pacatuba, em 1875, e faleceu em 02 de Julho de 1909, com apenas 34 anos de idade, vítima de suicídio. Era filho de Henrique Gonçalves da Justa e de Engracia de Paula Justa. Eram seus avós maternos Francisco de Paula Tavares Coitinho e Lourença de Paula Tavares Coitinho, naturais de Pernambuco, e de origem portuguesa, e avós paternos Antônio Gonçalves da Justa, português, e Maria Neta da Justa, cearense e filha de português. Era autodidata e em 1894, tornou-se escriturário da Secretaria da Fazenda do Ceará.

A aerostática era sua ocupação predileta, e durante cinco anos, reuniu recursos para custear a publicação de sua pesquisa denominada “Navegação aérea (Aeroscapho)” em que apresenta o projeto de um helicóptero. Navegação Aérea, 52pp, impresso na Tipografia Moderna a vapor Ateliers Louis, 71, Rua Formosa, Fortaleza, 1899.

Aeroscapho é o nome por ele dado ao aparelho de sua invenção, aparelho misto do gênero mais pesado que o ar, segundo diz no 1º capítulo do seu livro.

Na primeira parte do trabalho, Justa expõe as duas tendências em que se dividiam os pesquisadores aeronáuticos: de um lado, os adeptos dos aparelhos mais leves do que o ar, os balões e dirigíveis, e, de outro, aqueles para quem o futuro da aeronáutica encontrava-se no desenvolvimento dos aparelhos mais pesados do que o ar. Justa descrevia as experiências de Langley sobre o Rio Potomac, nos Estados Unidos, e as mal sucedidas tentativas de Ader na França, argumentando que, apesar dos insucessos das experiências aeronáuticas até então realizadas, os governos dos dois países estavam convencidos da exequibilidade da navegação aérea.

A ideia do helicóptero remonta ao século XV e foi formulada por Leonardo da Vinci. Posteriormente, diversos inventores tentaram desenvolvê-la, sem sucesso. Em 1845, Cossus projetou um aparelho movido a vapor que, no entanto, não conseguiu elevar-se do solo em função do peso excessivo do propulsor. Em 1878, Castel projetou e construiu outro aparelho que, durante a primeira experiência, chocou-se com um muro, sem conseguir voar ou manter-se no ar. No mesmo ano, Forlani projetou um aparelho que se elevou a 13 metros de altura, sem, no entanto, conseguir voar.

A concepção do “Aeroscapho” apresentava uma série de ideias originais, todas elas empregadas, posteriormente, na construção de helicópteros e aviões, tais como: a concepção de um sistema motor composto de motores e turbinas, a ideia da aplicação de álcool à navegação aérea, um combustível nacional, a hélice de passo variável, a concepção de uma cabine fechada, a aplicação de materiais metálicos, a ideia de voo noturno. O projeto revelava bases técnicas consistentes. Era mais do que a vontade subjetiva de um inventor.

O inventor encaminhou seu pedido ao Ministério da Guerra. Mas os militares não se sensibilizaram com o projeto. Sem recursos, construiu apenas um modelo em escala, do aparelho. Em 1909, tomado por uma crise depressiva, Antônio Henrique da Justa suicidou-se aos 34 anos de idade.

Dias antes do suicídio, destruiu grande parte do acervo de documentos por ele escritos, escapando felizmente, o trabalho intitulado “A Aeronáutica”, do qual já havia escrito a introdução “As Origens da Aeronáutica” e os capítulos “Teoria do balão livre” e “Construção de um balão aerostático”.

Fonte: Diccionário Bio-bibliográfico Cearense – Barão de Studart / Jornal O Povo / Blogdosinventores.com.br
Colaboração: Francisco de Assis Viana Silva (http://instagram.com/francisco_de_assis_viana.ce)
Jaqueline Aragão Cordeiro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*