Caldo de cana

Caldo de cana ou garapa é o nome que se dá ao líquido extraído da cana-de-açúcar no processo de moagem. É rico em sacarose, sendo usado como matéria-prima na fabricação de açúcar, etanol (álcool etílico) e cachaça. O resíduo industrial na destilação, para fabricação de álcool e cachaça, é o melaço, ou mel-de-furo. (Ver Engenho) O caldo de cana é consumido também in natura, como alimento muito energético. É ainda apreciado após iniciado seu processo de fermentação, embora haja controvérsia quanto aos efeitos de tal ingestão no organismo, se benéficos ou não. Neste estado, em fermentação, adquire sabor semelhante ao Continue lendo Caldo de cana

CARNE-DE-SOL E CARNE-SECA

A principal diferença é que a carne-seca, como o nome dá a entender, é mais seca que a carne-de-sol. E também mais salgada. A carne-seca tem um teor de umidade de aproximadamente 45% e até 15% de sal; a umidade da carne-de-sol atinge 70%, com 5% ou 6% de sal.  A carne-de-sol, diferentemente do que o nome dá a entender, não é exposta aos raios solares. “Os cortes do traseiro do boi são salgados e deixados para secar por 2 ou 3 horas em um lugar coberto, de preferência com vento”, diz Aguifá Lira Dantas, secretário da Agricultura de Picuí, Continue lendo CARNE-DE-SOL E CARNE-SECA

O Caju

O cajueiro é uma árvore tropical, nativa do Brasil. Na Amazônia tropical, as árvores apresentam porte bastante elevado; nos estados do Nordeste, a principal espécie é o Anacardium occidentaleL., cujas árvores apresentam pequeno e médio porte. Nas regiões de cerrado do Brasil, as espécies podem apresentar porte médio, como o cajueiro-arbóreo-do-cerrado (Anacardium othonianum), porte arbustivo como o cajueiro-do-campo (Anacardium humile) e ainda o de porte rasteiro (Anacardium nanum e Anacardium corymbosum). Em termos de importância econômica, a sua exploração se concentra no Nordeste, principalmente nos estados do Ceará, Piaui e Rio Grande do Norte, com mais de 95% da produção. Apesar da sua potencialidade, a Continue lendo O Caju

CARNE-DE-SOL

  A carne-de-sol, denominada também de carne-de-sertão ou  carne-do-ceará, é um método de conservar alimentos de origem animal, salgando e secando ao sol peças de carne, em geral bovina e por extensão, o nome do alimento preparado deste modo. É, normalmente, confundido com carne seca. Apesar de possuírem processos parecidos há uma grande diferença no sabor. A carne-de-sol é ligeiramente salgada e depois colocada para secar em local coberto e ventilado. O processo de secagem é rápido e o interior da carne fica úmido e macio. Já a carne seca leva mais sal e é empilhada em locais secos para Continue lendo CARNE-DE-SOL

Restaurante tilápia da terra

O restaurante “TILÁPIA DA TERRA” foi criado em junho de 2005, está localizado na estrada velha no Icarai, Km 03, e fica aberto diariamente de 9 as 20 horas e domingo até as 18 horas. A proprietária, Raquel Nunes, oferece um cardápio regionalizado e excelente atendimento. A base do Cardápio é o peixe cará tilápia, que pode ser em forma de peixada ou assado na brasa, ambas as opções são incrivelmente saborosas. O peixe servido é sempre fresco, fica acondicionado em tanques e só são retirados na hora de levar até e cozinha onde vai ser preparado. Não podemos deixar de Continue lendo Restaurante tilápia da terra

BAIÃO-DE-DOIS

Baião-de-Dois é um prato típico do Estado do Ceará. Também é bastante apreciado nos estados de Rondônia e Acre. Consiste num preparado de arroz e feijão, de preferência o feijão verde ou feijão novo. É frequente adicionar-se carne-seca (charque). O termo baião, que deu origem ao nome do prato, designa uma dança típica do nordeste, por sua vez derivada de uma forma de lundu, chamada “baiano”. A origem do termo ganhou popularidade com a música Baião de Dois, parceria do compositor cearense Humberto Teixeira com o “Rei do Baião”, Luís Gonzaga, na metade do século XX. A origem cearense do Continue lendo BAIÃO-DE-DOIS

Culinária Cearense – Parte 2

Arroz, feijão, manteiga e queijo combinam para fazer um dos pratos mais populares: o baião-de-dois. Do sertão vem, também, a carne de sol com paçoca ou macaxeira. A carne é utilizada para preparar a paçoca, um prato feito à base de carne seca torrada e pisada no pilão com farinha e cebola. Muita gente não consegue resistir a uma panelada (cozido de vísceras e mocotó de boi), a buchada (saquinhos de pedaço de bucho, recheados com miúdos de carneiro), o guizado de carneiro (também conhecido como carneirada), o sarrabulho (picadinho de vísceras e sangue talhado de porco), ou a carne Continue lendo Culinária Cearense – Parte 2

Culinária Cearense – Parte 1

Os produtos do mar são os mais característicos da culinária cearense, despertando o interesse dos turistas, principalmente daqueles cujas cidades não são banhadas pelo mar. O prato de peixe mais tradicional é a “peixada cearense” (cozido de peixe com legumes, acompanhado de pirão de farinha), servida em todos os restaurantes da cidade, dos mais simples aos mais sofisticados. Símbolo da culinária cearense, a lagosta é outro produto do mar muito requisitado pelos turistas. O Ceará é o maior exportador brasileiro do produto, sendo Fortaleza reconhecida nacionalmente como o local onde se prepara a melhor lagosta do pais. Outros crustáceos bastante Continue lendo Culinária Cearense – Parte 1