Colégio Dorotéias

foi fundado no ano de 1915, a convite do 1º Arcebispo Metropolitano de Fortaleza, D. Manuel da Silva Gomes, e dirigido pelas irmãs da Congregação de Santa Dorotéias. É construído de acordo com quatro referenciais importantes na época, para a educação da elite feminina do Ceará: os ideais católicos; os pressupostos patrióticos baseados na República recém-instaurada; preparação para o casamento, à família e o lar e, por fim, estava condizente com o bem estar saudável e civilizador oferecido pela arquitetura monumental do prédio que se estabelecera.

Entre 1920 e 1934, a direção das Dorotéias compra com recursos próprios os imóveis adjacentes ampliando suas instalações para atender a grande procura por vagas, às necessidades pedagógicas e higiênicas em voga. Desse modo, pode levantar novos dormitórios e salas de aulas, com acréscimo de salões para festas, novas salas de estudos, galerias para piano, banheiros e um vastíssimo terraço para recreio das alunas, tornando-se assim bastante confortável.

A Capela existente foi inaugurada em 1940. Submetido à inspeção preliminar, por despacho ministerial de 05 de outubro de 1938, o Colégio Sagrado Coração das irmãs Dorotéias, como ficou mais conhecido, passa por vários trâmites relacionados à estrutura e funcionamento do saber escolar e momentos de avaliação em busca de uma melhor atuação no sistema educacional de nossa cidade. Esses fatores e outros, mencionados a seguir, são, portanto, elementos de reconhecimento e consolidação do Colégio Dorotéias entre a comunidade fortalezense.

Em 1980 o Padre Gothardo Lemos, professor-diretor do Colégio Juventus, aluga por quase oito anos o prédio do Colégio Sagrado Coração das irmãs Dorotéias e ocupa o cargo de direção, antes gerenciado pela Irmã Maria Teresinha de Lima, que permanecerá na escola em outras atividades educacionais. Nesse período, observamos enorme ênfase na recepção de turmas mistas, homens e mulheres, contando 956 alunos, do pré-escolar à última série do segundo grau (atual ensino médio).

Durante os anos de 1989 a 1992, o Dorotéias foi arrendado ao grupo educacional Geo Studio e só em fevereiro do ano de 1993 é que ficou novamente sob a direção das irmãs Dorotéias, porém,  o colégio foi comprado pela instituição de ensino superior Bureau Jurídico S/A, mantenedora da Faculdade Mauricio de Nassau, com o intuito de sediar uma unidade de ensino superior.

Pela história que representa para a cidade e por sua arquitetura da fachada preservada, o prédio da escola foi tombado pelo Conselho de Patrimônio Histórico-Cultural (Comphic). A decisão é um alívio para quem temia que a ex-escola permanecesse somente na memória dos ex-alunos. O restauro da fachada preserva o desenho original, mas a parte interna já está muito comprometida devido a intervenções aleatórias feitas anteriormente.

Fonte: Jornal Diário do Nordeste / www.fortaleza.ce.gov.br
Fotos: Arquivo Nirez e arquivo pessoal
Jaqueline Aragão Cordeiro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*