MULHERES DE CORPO E ALGA

Mulheres de corpo e alga é um projeto das esposas de pescadores da comunidade de Barrinha, no município de Icapui. O projeto nasceu há quase 10 anos e hoje é meio de subsistência para as famílias que antes, viviam da pesca da lagosta, hoje, quase extinta.
Elas descobriram na beira do mar um verdadeiro tesouro, pois transformam algas marinhas em comida, sabão, sabonete, xampu, hidratantes… e dinheiro. Algas marinhas são a base de pratos servidos na merenda escolar em Icapuí. A gelatina ou o mousse de alga marinha que vai para a merenda de creches e escolas públicas é a renda das realizadoras do Projeto.

As algas eram retiradas pelas mulheres que vendiam para empresas internacionais, os primeiros a encontrarem o tesouro. O material coletado com mão de obra baratíssima era a base de cosméticos comercializados no mundo. Hoje também é, mas dessa vez são as próprias catadoras que beneficiam e industrializam as algas. As mulheres foram capacitadas pela Fundação Brasil Cidadão, com técnicas sobre produção de alimentos e cosméticos a partir das algas trazidas pelo mar.

A Prefeitura Municipal de Icapuí compra tudo o que é produzido no setor de alimentação, abastecendo a merendeira de creches e escolas públicas. Gelatina e mousse são os alimentos mais fabricados. Os principais cosméticos produzidos são sabonete em barra, sabonete líquido, hidratante para a pele e esfoliante. A alga que saía de Icapuí, sem volta, porque era industrializada para o mercado europeu, agora fica, e os cosméticos produzidos de forma associativista também complementam a renda das famílias de pescadores. De acordo com as empreendedoras, o dinheiro apurado com a venda é, primordialmente, colocado para pagar as despesas e fazer novos investimentos, depois é dividida  igualmente para todos que produziram.

A casa de beneficiamento do Projeto Mulheres de Corpo e Alga passou por uma reforma para obedecer às determinação das Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Estão separados os setores de cosméticos e alimentos.

Projeto Mulheres de Corpo e Alga, Comunidade de Barrinha

Município de Icapuí – Litoral Leste

Maria Leidiane, (88) 9408.4324


Fonte: Jornal Diário do Nordeste

Leia mais no site Brasil Cidadão

One Reply to “MULHERES DE CORPO E ALGA”

  1. Boa tarde! Sobre essa matéria (MULHERES DE CORPO E ALGA), tenho muito interesse em comprar as algas marinhas para fazer gelatina, mas não estou encontrando. Já comprei antes, mas uma amiga tinha casa no município e trazia para mim, só que agora perdi contato com a mesma. Por gentileza, me forneçam, se possível, o nome da loja onde posso comprar, muito grata!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*