Mulungu

O Mulungu é uma árvore nativa da caatinga do nordeste brasileiro, apresenta grande resistência a altas temperaturas e escassez de água. Sua casca e frutos são utilizados na medicina popular mas sua eficácia ainda não foi comprovada cientificamente.

O nome genérico Erythrina vem do grego erythros, que significa “vermelho”, em alusão à cor das flores; o epíteto específico velutina vem do latim, devido ao fato da folha apresentar de delicados e macios pelos. O nome vulgar mulungu vem do tupi, mussungú ou muzungú e do africano mulungu significando “pandeiro”, talvez pela batida no seu tronco oco emitir som.

Nomes populares: no Ceará, bucaré, mulungu, mulungu-daflor-vermelha e mulungu-da-flor-amarela; em Minas Gerais, muchôco e mulungá; na Paraíba, em Pernambuco, no Rio Grande do Norte, no Estado de São Paulo e em Sergipe, mulungu.

As árvores maiores atingem dimensões próximas a 15 m de altura e 80 cm de DAP (diâmetro à altura do peito, medido a 1,30 m do solo) na idade adulta. O Tronco é reto a levemente tortuoso. O fuste é geralmente curto, medindo até 5 m de comprimento. A casca mede até 25 mm de espessura. A casca externa é lisa a levemente áspera. As folhas tem de 6 cm a 14 cm de comprimento. As Flores são alaranjadas ou vermelho-rutilante, com lâmina quase redonda e parecida com um cálice.

Sua Floração vai de julho a agosto, em Minas Gerais, de julho a dezembro, na Bahia, de agosto a setembro, no Estado de São Paulo, de setembro a novembro, no Estado do Rio de Janeiro, de outubro a dezembro, em Pernambuco, de novembro a dezembro, em Sergipe e de janeiro a fevereiro, no Ceará.

Ocorre, deforma natural, no Brasil, nos seguintes Estados:
Bahia
Ceará
Maranhão
Minas Gerais
Paraíba
Pernambuco
Piauí
Rio Grande do Norte
Sergipe

Fonte: Embrapa
Jaqueline Aragão Cordeiro

One Reply to “Mulungu”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*