Monumento das Falésias de Morro Branco

Morro Branco por Jaqueline Aragão Cordeiro

Falésia, arriba ou costa alta é um acidente geográfico constituído por uma encosta íngreme ou vertical. Geralmente estes termos referem-se a formações litorâneas, mas também podem ser consideradas aquelas encontradas em montanhas, falhas e margens de rios. Quando uma falésia tem grandes dimensões é chamada de penhasco. Falésias são escarpas que terminam ao nível do mar e encontram-se permanentemente sob a ação erosiva do mar. No Nordeste brasileiro são conhecidas como formações do grupo Barreira.

Morro Branco por Jaqueline Aragão Cordeiro

O Monumento Natural das Falésias de Beberibe, unidade de conservação de proteção integral, criada por meio do DECRETO Nº 27.461, de 04 de junho de 2004, abrange uma área de 31,29 hectares e localiza-se no Município de Beberibe, a aproximadamente, 87 Km de Fortaleza. O principal acesso a esta unidade de conservação se dá, partindo de Fortaleza, pela Rodovia CE 040.

As áreas inseridas nesta unidade de conservação abrangem falésias vivas e dunas móveis, além de dunas em processo de fixação localizadas nas adjacências do Monumento. Geologicamente, a área caracteriza-se em sua maioria, pelos sedimentos terciários pertencentes a Formação Barreiras, que acompanha a linha da costa e aflora na linha de praia, formando falésias vivas, com porte mais expressivo no setor oeste, ou seja, nas imediações das localidades de Morro Branco e Praia das Fontes.

Morro Branco por Jaqueline Aragão Cordeiro

Sobrepondo-se aos sedimentos da Formação Barreiras, ocorrem as dunas edafisadas, geração mais antiga de dunas que apresentam o desenvolvimento de processos pedogenéticos, com consequente fixação de vegetação de maior porte. As dunas móveis são formadas a partir da acumulação dos sedimentos removidos da praia e, em geral, apresentam-se capeando a geração de dunas mais antigas,, embora em alguns locais estejam assentadas diretamente sobre os sedimentos da Formação Barreiras.

A alta condutividade hidráulica dos sistemas dunares conectados às falésias favorecem a infiltração da água doce formando pequenas fontes, que são utilizadas pelos visitantes e população circunvizinha como alternativa ao banho de mar.

A população do Município de Beberibe, os veranistas e os turistas usufruem das riquezas ambientais da área, através do desenvolvimento da pesca e das atividades turísticas e de lazer. Inseridas na Zona de Amortecimento do Monumento Natural das Falésias de Beberibe, existem cinco comunidades que sobrevivem diretamente da utilização de seus recursos naturais, basicamente da pesca e do turismo, que são: Beberibe, Praia do Morro Branco, Praia da Tabuba do Morro Branco, Praia das Fontes e Praia do Diogo.

Morro Branco por Jaqueline Aragão Cordeiro

ATIVIDADES PROIBIDAS
– A retirada ou desmonte das formações geológicas que compõem as falésias, incluindo a vegetação que as protegem e/ou circundante, natural ou não
– A construção ou a reforma, a realização de obras civis, de terraplenagem, a abertura de vias ou o cercamento sobre as formações geomorfológicas que compõem as falésias
– A marcação, gravura ou qualquer alteração humana sobre as falésias, que descaracterize sua apresentação visual natural
– A realização de competições, motorizadas ou não, que envolvam movimentações de coisas e/ou de pessoas
– Demais atividades danosas previstas na legislação ambiental

Morro Branco por Jaqueline Aragão Cordeiro

Os principais problemas existentes nesta unidade são decorrentes da ação antrópica: retirada de areia das falésias pra uso no artesanato local, inscrições nas falésias e demais problemas decorrentes da atividade turística desordenada. A SEMACE realiza fiscalizações na área. Entretanto, a colaboração da sociedade é imprescindível na gestão desta unidade de conservação, denunciando as agressões ao meio ambiente e adotando atitudes que propiciem o desenvolvimento de uma consciência ecológica na população e nos visitantes.

Sua criação ocorreu dada a necessidade de proteção e conservação das formações naturais do litoral cearense de notório valor paisagístico, representadas pelas falésias e dunas, que se revestem de grande importância ecológica e acentuada fragilidade natural, além da necessidade de ordenamento da atividade turística no local e da ocupação do solo em seus limites e em sua zona de amortecimento.

Cor natural da areia colhida no local – Essa variação de cor depende do tipo de mineral existente na areia

A areia é formada através da sedimentação das rochas, que passam por vagarosa erosão durante milhares de anos. Os pedaços de pedras que se soltam são levados pelo vento e pela água, através das chuvas, e outros fenômenos. No litoral, estes sedimentos se unem às algas, conchas, cascalho e argila do fundo do mar e são empurradas para a praia. A cor da areia da praia depende do tipo de mineral do solo da qual as pedrinhas se desprenderam e do material ao qual se uniram.

Fonte: Wikipedia / SEMACE / pensamentoverde.com.br
Jaqueline Aragão Cordeiro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*