Pentecoste

Vista aérea da cidade

Pentecoste está localizada a 89 km da capital Fortaleza. Suas origens remontam ao século XIX, tudo começou por volta de 1862, quando Bernardino Gomes Bezerra, um fazendeiro de Canindé e residente na região praieira do Acaraú, construiu uma casa nas proximidades da fazenda Barrinha, pertencente a Francisco Ferreira Azevedo, a fim de trazer a família para vir passar o inverno. Surgiram em consequência outros moradores, edificando novas residências e contribuindo para a formação do arraial.

Igreja Matriz de Nossa Senhora da Conceição, no início

Certo dia, aproveitando a passagem do padre Francisco da Rocha naquele lugar, Bernardino consultou-o sobre a posição de construir uma igreja naquele local. Em comum acordo e com o apoio de outras pessoas interessadas, assentaram os alicerces da igreja, cuja obra ia se edificando. Ainda em construção, residencias foram surgindo ao redor da igreja, e começaram a cogitar uma nova freguesia, por que esse distrito pertencia a Canindé.

A partir de então, as autoridades conseguiram, através da Lei 1.283, elevar na pequena povoação a uma nova freguesia, denominada de “Barra”. Durante a primeira missa celebrada, a 04 de julho de 1864, dia de Pentecostes, o padre Manuel Lins aproveitando a oportunidade de todos estarem presentes, pediu ao povo que, para servir de memória daquele dia, o lugar fosse mudado de nome pra Pentecostes. Todos concordaram, sendo que houve um lamentável erro de grafia, quando foi registrado, pois o “S” foi omitido, e ficou Pentecoste.

Igreja Matriz de Nossa Senhora da Conceição em 1967

Chamou-se primitivamente Conceição da Barra ou Barra da Conceição. A elevação do povoado à categoria de Vila provém da Lei nº 1.542, de 23 de agosto de 1873. Suprimida, na forma do Decreto nº 18 de 15 de abril de 1892 e restaurada conforme Lei nº 457, de 27 de agosto de 1898. Suprimida em segundo turno, segundo Dec-Lei nº 1.156, de 4 de dezembro de 1933 e restaurada consoante Dec-Lei nº 1.540, de 3 de maio de 1935. Sua elevação à categoria de Município provém do Dec-Lei nº 448, de 20 de dezembro de 1938.

A Freguesia, consta como tendo sido criada, conforme Lei Provincial nº 1.283, de 29 de setembro de 1869 e instituída canonicamente a 8 de janeiro do ano seguinte. Tem-se como primeiro vigário o padre Firmino Brandt Rocha, nomeado em 10 de janeiro de 1870 e empossado no dia 2 de fevereiro seguinte.

Em suas manifestações de apoio eclesial tem-se como precedente a edificação da primitiva capela, contando com a colaboração decisiva do Mestre Bernardino, a pedra fundamental, do nicho que seria concluída em 1864. A missa inaugural, teve como oficiante o padre Manuel Lima, evento que se registra no Domingo de Pentecostes, o que levaria o reduto à denominação que se consagraria.

Casa considerada como uma das primeiras a ser construída em Pentecoste, localizada na Rua de Baixo, em direção ao rio Canindé, chegando no Canal, do lado esquerdo

Os moradores, liderados por “mestre” Bernardino Gomes Bezerra, lançaram a pedra fundamental para construção de uma capela dedicada ao culto de Nossa Senhora da Conceição. Achando-se a povoação colocada a poucos metros da junção dos rios Canindé e Curu, deram-lhe o nome de “Barra da Conceição” ou Conceição da Barra”.

Rezou a primeira missa naquelas paragens, no domingo de Pentecoste de 1864, o Padre Munuel Lima. Esse fato singular da vida Cristã naquela comunidade marcaria o início de sua gradativa emancipação, além de lhe conferir a bela denominação – Pentecoste, perpetuando a memória da descida do Espírito Santo sobre os Apóstolos.

Colaboração de texto e imagens: Ricardo Martins Azevedo (Capitão de Longo Curso / Comandante da Marinha Mercante)
Site do Município
Jaqueline Aragão Cordeiro

Veja também neste site

Author: Jaqueline Aragão Cordeiro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *