Tiririca

Francisco Everardo Oliveira Silva nasceu em Itapipoca, no dia 8 de maio de 1961, conhecido pelo nome artístico de Tiririca, é um humorista e agora eleito deputado federal por São Paulo, tendo sido o segundo deputado mais votado em toda a história do Brasil.

Aos oito anos, começou a trabalhar em circo na cidade natal Itapipoca, onde atuava como o palhaço Tiririca, apelido dado pela mãe quando ele ainda era criança, pois na linguagem popular, tiririca quer dizer uma pessoa zangada, aborrecida.

Nesta época, as apresentações de Tiririca eram em barracas, espécies de pequenos circos, muito comuns no Nordeste. Tiririca viveu por muito tempo em Cascavel, Pindoretama, Aquiraz e demais cidades do litoral leste cearense, onde tinha seu pequeno circo. Com o talento passou a mostrar sua habilidade em Fortaleza e região metropolitana, onde seu sucesso e fama se tornaram cada vez mais constantes. Devido ao grande sucesso alcançado nesses espetáculos, os barraqueiros da região se cotizaram e pagaram as primeiras mil cópias do CD de estreia, que bateu índices recordes de vendagem, mais de 1,5 milhão de cópias, isso graças à exaustiva execução nas rádios da música Florentina. Distribuída inicialmente pelas regiões de Juazeiro e Pernambuco, pouco tempo depois a música se tornou conhecida nacionalmente. A gravadora Sony Music comprou o disco e o lançou nacionalmente.

Realizando uma série de espetáculos, no mesmo ano ingressou na Rede Record onde fez parte do elenco fixo do humorístico “Escolinha do Barulho”, abandonando temporariamente a atividade musical. Antes fora contrato da Rede Manchete onde protagonizava um programa infantil. Posteriormente transferiu-se para o SBT, onde tinha um quadro fixo no programa “A Praça é Nossa”. Lançou o CD Alegria do Forró e retornou à Rede Record onde participava do programa “Show do Tom”, apresentado pelo também humorista Tom Cavalcante até ser eleito em 2010.

Em 2010, Tiririca lançou sua candidatura para deputado federal pelo estado de São Paulo por meio do Partido da República. Utiliza bordões como “O que é que faz um deputado federal? Na realidade, eu não sei, mas vote em mim que eu descubro e te conto”, ou “Pior do que tá não fica, vote Tiririca”. Tais bordões levaram um candidato a deputado estadual a representá-lo junto ao Ministério Público Eleitoral, sob o fundamento de que estaria afrontando o Congresso Nacional e o poder público em geral. A representação, contudo, foi arquivada. Tiririca foi ainda, apontado como um analfabeto pela Revista Época, o que poderia impugnar sua candidatura. No dia 3 de outubro de 2010 Tiririca torna-se o Deputado Federal mais votado do Brasil e é eleito pelo estado de São Paulo com 1.348.295 (6,35%). Em 30 de outubro de 2010 a defesa de Tiririca alegou que ele sofre de Transtorno de Desenvolvimento da Expressão Escrita, uma deficiência motora que o impediria de segurar uma caneta com firmeza. A defesa afirma que Tiririca contou com o auxílio de sua mulher para escrever de próprio punho a declaração de alfabetização, exigida pela Lei Eleitoral. A mulher de Tiririca teria apoiado sua mão sobre a mão do marido para ajudá-lo a firmar a caneta no momento da redação. Por causa da deficiência, diz a defesa, Tiririca também estaria impossibilitado de fazer testes de escrita.

A explicação contradiz o vídeo gravado por ÉPOCA em setembro, que deu origem às suspeitas de analfabetismo. As imagens mostram Tiririca dando autógrafo a um fã. Em pé, de improviso, Tiririca segura um caderno com a mão esquerda e rabisca uma assinatura circular com a mão direita. O humorista ainda desenha o que seriam as letras de seu nome. Ele não demonstra nenhum sinal de dificuldade para segurar a caneta.

Após muita polêmica, em 17 de dezembro o candidato foi o primeiro a ser diplomado na Assembleia Legislativa em São Paulo. Tiririca foi aplaudido pelas pessoas que estavam nas galerias e pretende focar seus projetos nas áreas de educação e cultura, na defesa de artistas circenses em geral e ciganos. Em abril de 2011 se envolveu em controvérsia ao empregar dois amigos humoristas como assessores, sem obrigá-los a cumprir expediente diário na Câmara e gratificando-os com salário de R$ 8 mil cada. Tiririca integra a comissão de educação e cultura da câmara.

Fonte: Wikipédia
Jaqueline Aragão Cordeiro

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*