Cidades Cearenses – Origem dos nomes – Parte 7

O Ceará tem atualmente 184 municípios, com cultura, riquezas e costumes de um povo único. Nessa postagem não vamos destacar detalhes de cada município, mas somente a origem do nome. Clicando no link, você poderá ver informações completas no site ceará.com.br.

http://ecoviagem.uol.com.br/noticias/social/gastronomia-tipica/ferias-com-cafe-chocolate-e-flores-em-pacoti-no-ceara-9963/centro-58859.jpg
CIDADE DE PACOTI

MULUNGU – O nome Mulungu é denominação de uma planta. Anteriormente se chamava Freguesia de São Sebastião de Mulungu.

NOVA OLINDA – Nova Olinda é uma homenagem a cidade Pernambucana de Olinda.

NOVA RUSSAS – É uma alusão à cidade de São Bernardo de Russas, a cidade natal do padre Joaquim Ferreira de Castro, o primeiro vigário da capela de Nossa Senhora das Graças. Sua denominação original era Fazenda Curtume, depois Curtume e, desde 1901, Novas Russas.

NOVO ORIENTE – Tinha o nome de Lagoa do Tigre, pelo fato de haver uma lagoa, onde pastava o gado e ali apareciam onças que o devorava. O nome Novo Oriente surgiu do primeiro sacerdote da localidade, padre Afonso de Gouveia, vigário de Independência, que veio celebrar a primeira missa. Na ocasião, o mesmo, achando a situação geográfica com muitos montes, lembrou-se do Oriente e teve a ideia de atribuir a esta região, o poético nome de Novo Oriente.

OCARA – Vem do tupi-guarani e significa palco, terreiro ou terraço de aldeia ou taba. Sua denominação original era Jurema e, desde 1943, Ocara.

ORÓS – Orós, no sufixo grego-universal, significa montanhas.

PACAJÚS – Tem origem na tribos Tapuia dos Jaracu, ou Paiacu, que habitavam a região. Sua denominação original era Guarani, depois Missão dos Paiacu, Monte-Mor, Monte-Mor-o-velho, Guarani e, desde 1943, Pacajus.

PACATUBA – Vem do tupi-guarani paca (animal), tuba (lugar abundante) e significa lugar de muita paca. Sua denominação foi sempre Pacatuba, sem haver alterações.

PACOTI – Pacoti é o nome do rio que nasce ao extremo sul da Serra de Baturité e banha o município. Há divergências quanto ao significado da denominação. “Lagoa das Cotias”, rio das Pacovas (banana) e rio das bananeiras, segundo a língua dos indígenas, antigos habitantes desta terra, são alguns dos significados possíveis. Ainda existe a hipótese de se chamar “Voltado para o Mar”.

PACUJÁ – Frutas da Pacová e folha de enrolar.

PALHANO – Há uma grande duvida sobre a origem do nome Palhano que vem do antigo nome “Cruz do Palhano”, pode ser uma homenagem ao riacho (Riacho da Cruz) e ao sobrenome do primeiro morador (Sr. Tenente-Coronel Estêvão de Souza Palhano) ou pelo mito popular do Sr. José Palhano e o Cruzeiro por ele encravado e bento pelo Frei Davi, numa de suas missões no ano 1901. Muitos atribuem o nome do município à palha oriunda da carnaubeira, vegetal de existência abundante na região. Outros que apontam a passagem da família Palhano pela região como a causa da nomenclatura.

PALMACIA – O nome Palmácia, tem formação erudita, vem de Palmaceae, família botânica das palmeiras. Antes de Palmácia, o nome sugerido foi Pindobal que também significa terra das palmeiras, mas não foi aceito pela população local.

PARACURU – Existem as seguintes definições, segundo informações do IBGE para o topônimo Paracuru. Uma originária da língua Tupi: Paracuru significa Lagarto do Mar. Outra versão: Mar de Cascalho. “Pará” (Mar) + “Curu” (Cascalho) ou ainda “Pará” (Rio) + “Curu” (Cascalho), Rio de Cascalho.

PARAIPABA – Significa em linguagem Tupi “Passagem do Tigre”.

PARAMBU – Vem do tupi-guarani “para” (rio) e “juru ou yuru”(o que ronca), significando “Rio roncador”. Sua denominação original era Vila das Marrecas, depois São Pedro da Cachoeira, Cachoeirinha e, desde 1943, Parambu.

PARAMOTI – Vem do Tupi Guarani e significa “Rio que se estreita”.

PEDRA BRANCA – No local conhecido por Tabuleiro da Peruca – havia uma pedra de tonalidade clara, forma e dimensões peculiares. Na primeira metade do século XIX – vaqueiros e viajantes das redondezas – passaram a tomá-la como ponto de referência para seus encontros. Estes encontros em época remota, reunindo grupos relativamente pequenos, explicam a origem do nome do município de Pedra Branca.

PENAFORTE – O nome foi dado em homenagem ao côneno Raimundo Wlisses Penaforte.

PENTECOSTE – O nome é em razão Da 1ª Missa alí celebrada ter sido consagrada ao Espírito Santo.

PEREIRO – Há duas versões para o nome: uma é homenagem ao seu fundador Manoel Pereiro e a outra pela quantidade de árvores do mesmo nome.

Jaqueline Aragão Cordeiro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*