João Perboyre e Silva

João Perboyre e Silva nasceu em Redenção, no dia 18/09/1905, era filho de Luiz José Pereira da Silva e Maria Júlia Pereira Silva.

Iniciou os estudos em sua cidade natal e fez o curso de preparatórios no Liceu do Ceará e se graduou pela Faculdade de Direito, em 1929. Aluno brilhante, ocupou interinamente a cadeira de Direito Internacional Privado da mesma Faculdade, de 1939 a 1947. Foi jornalista e escritor. Era casado com Waldeliz e tiveram uma filha chamada Ruth.

Ainda acadêmico de direito, voltou-se para o jornalismo, fundando, juntamente com os colegas Paulo Sarasate, Plácido Castelo e Parsifal Barroso, o panfleto semanal “A Farpa” (1926-1927), trincheira contra os desmandos do Governo do Estado e do País, em puro estilo panfletário, que o povo de Fortaleza aplaudiu. E, como não podia deixar de ser, veio de imediato a repressão das autoridades constituídas: o jornal foi apreendido e os seus editores detidos por ordens da Chefatura de Polícia.

A situação era delicada e, com uma certa razão, a cidade ficou apreensiva e temerosa de alguma reação drástica por parte do governo. Houve intervenção de várias pessoas qualificadas e os estudantes foram soltos. Perboyre, no entanto, que assumira sozinho as responsabilidades pela publicação, liberando totalmente os seus três companheiros, ficou preso, fato que alarmou a muitos, receosos de uma ação violenta da polícia. Felizmente, horas mais tarde, Perboyre foi solto, sem nada ter sofrido além de severa repreensão.

Foi um dos mais atuantes presidentes da Associação Cearense de Imprensa, ocupando o cargo por 14 anos. Em sua gestão foi construída a sede atual da A.C.I. (o Edifício Perboyre e Silva, também conhecido como Palácio da Imprensa), no Centro; e a Casa do Jornalista, inaugurada em 1959. Em 1945, fundou o extinto Instituto do Nordeste.

Ocupou vários cargos públicos: Delegado de Polícia de Fortaleza, diretor de Instrução Pública e Procurador Fiscal do Estado. Foi membro preeminente da Academia Cearense de Letras, como Titular 33 da Cadeira 33, que tem como Patrono o renomado cientista, escritor, poeta, jornalista e Professor Rodolpho Marcos Theophilo.

Membro da Academia Cearense de Letras e professor emérito da cadeira de Direito Internacional Privado da Faculdade de Direito, publicou:
O Divórcio na Sociedade Internacional e em face da lei Brasileira
A Nacionalidade na Constituição de novembro
Territorialidade do Direito Internacional Privado
Posição de Credos Religiosos no Direito Internacional Privado
O Concurso da Escola na transformação do Habitat Nordestino
João Ribeiro (Conferência)
Pequena Introdução ao estudo do Direito Comparado (1957)

Era assessor do então Ministro da Educação, Suplicy de Lacerda, quando foi vitimado por colapso cardíaco, falecendo no dia 23/06/1965, em Brasília. Por iniciativa do Reitor Martins Filho, seu corpo foi transladado para Fortaleza e aqui sepultado no cemitério São João Batista.

Fonte: ELOGIO AO PATRONO JOÃO PERBOYRE E SILVA(*) Ribeiro Ramos – Revista do Instituto do Ceará
Jaqueline Aragão Cordeiro

Author: Jaqueline Aragão Cordeiro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *