Messias Holanda

Manuel Messias Holanda da Silva, mais conhecido como Messias Holanda, nasceu em Missão Velha, no dia 13 de janeiro de 1942. Se mudou para fortaleza aos cinco anos de idade.

Trabalhou como camelô e nas rádios Iracema e Ceará Radio Club onde começou a difundir sua música. Elas fizeram muito sucesso nos anos 1960 e 1970 como “Pra tirar Coco”, “Mariá, vendedora de rapé (Tabaco Bom)”, “Papa de Maisena” e “Pescaria em Boqueirão (Lapa de Minhoca)”. Foram mais de 100 composições e 17 LPs.

FORTALEZA, CEAR¡, BRASIL. 13/01/2012. REVISTA SIAR¡: MESSIAS HOLANDA, CANTOR E COMPOSITOR. NO TJA.. FOTOS: MAR

Em 18 e janeiro de 2012, para comemorar seu aniversário de 70 anos de idade e 50 de carreira, os artistas cearenses, Dedim Gouveia, Cirano e Cirino e Diassis Martins fizeram um evento na casa de show “Kukukaya”, em Fortaleza.

Em 15 de setembro de 2016, sofre um grave acidente doméstico, e é levado para o IJF (Instituto José Frota). Esse acidente o deixou com sérios problemas de locomoção.

No dia 11 de janeiro de 2017, artistas locais prestaram tributo a Messias Holanda, no palco principal do Theatro José de Alencar. O show, iniciativa do produtor Leopoldo Siqueira, o Leo pé de serra, foi motivado após o acidente sofrido pelo artista. Participaram do evento: os sanfoneiros Waldonys, Sirano e Adelson Viana, além de grupos e cantores como Estrela do Norte, Cacimba de Alúa, Os Muringa, Juruviara e Trio Murici, Freitas Filho e Maestro Sardinha, Eugênio Leandro e Guidomar. Toda a renda foi destinada para o tratamento do cantor.

Messias Holanda e Trio Nordestino

Messias Holanda idealizou o projeto “Levanta Poeira”, que era conhecido como forró para turistas na década de 1980, e que perdurou por cerca de 10 anos. No dia 23 de março de 2017, o Maestro Tarcísio Sardinha, Estrela do Norte, Os Muringa, Freitas Filho, Arice Morais e Dj Léo Pé de Serra, recriaram o “Levanta Poeira” no Jamrock, na Praia de Iracema, em Fortaleza.

Messias Holanda sempre defendeu o legítimo forró, chamado “pé-de´serra”, e faz uma crítica: “Forró tem que ter sanfona. Hoje esqueceram a poesia da música. Estão depreciando a mulher. Eu falo nas minhas músicas em cachaça e mulher, mas conto uma história sem ofender”.

Como a maioria dos artistas brasileiros, Messias Holanda hoje vive no esquecimento e de forma humilde, em um bairro da periferia de Fortaleza.

Fonte: Wikipédia / Tribuna do Ceará / Jornal O Povo / Jornal Diário do Nordeste
Jaqueline Aragão Cordeiro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*