O primeiro voluntário cearense da Guerra do Paraguai

Batalha do Avaí, por Pedro Américo (Museu Imperial)
O dia 28 de janeiro de 1865 amanheceu com um movimento fora de seus costumes, nas imediações da praia de desembarque, pois chagara do sul, o navio que trazia as correspondências  Por volta das 11 hs, a sede dos correios se encheu de gente em busca de suas cartas e jornais do Rio de Janeiro, para saberem das novidades.
 
No meio da multidão, no salão estreito, em um canto, aguardando a sua vez, estava um rapaz de 20 anos, de olhar vivo, fisionomia inteligente, assobiando despreocupado. O carteiro iniciou a distribuição chamando pelos nomes. Um popular lia o “Jornal do comercio” que acabara de receber, quando gritou gesticulando, que o Paraguai declarou guerra ao Brasil. Todos pararam para ouvir a notícia abalou as pessoas que ali estavam. Ainda na notícia  o governo fazia um apelo aos brasileiros, pedindo que se alistassem para defender a pátria.
 
O jovem que estava aguardando para receber cartas para seu pai, parou de assobiar, mudou de fisionomia e ficou pensativo. Sem pensar em mais nada saiu correndo. Foi em direção a praça Gal. Tiburcio (Praça dos Leões), na esquina da Igreja do Rosário, dobrou e encaminhou-se para o palácio do governo, onde foi logo entrando. Disse ao porteiro que queria falar imediatamente com o Pres. Dr. Lafaiete Rodrigues Pereira. Pouco depois, foi encaminhado ao gabinete do presidente, onde, sem arrodeios, informou que queria se alistar para defender o Brasil. Comovido, o presidente o abraçou e perguntou seu nome, o que respondeu com voz firme: “Israel Bezerra de Menezes, filho do Dr. Manoel Soares da Silva Bezerra”. Passaram então, a conversar longamente, como se fossem velhos amigos.
 
Por volta das 14 hs, Israel deixa o palácio com várias missões de confiança. Foi para a rua e organizou uma passeata, enchendo as ruas com bandeiras do Brasil e muito entusiasmo. Por volta das 20 hs, já haviam se alistado 53 voluntários, que foram alojados no quartel. Nos dias seguintes viajou para Messejana, Soure (Caucaia), Maranguape, Pacatuba, Baturité e outras localidades, recrutando voluntários.
 
No dia 06 de abril, a bordo do “Jaguarehí”, partiam para o Rio de Janeiro, 500 voluntários cearenses, entre eles, estava Israel Bezerra de Menezes. Chegaram no dia 20 e foram aquartelados no Asilo São Leopoldo, na Praia Grande. Receberam o devido treinamento, e no dia 20 de junho, Israel, que já era Tenente, foi nomeado Instrutor dos Corpos 46 e 51, e com seus companheiros  embarcaram para a guerra. Aportaram perto da Vila de Concórdia  na província de Entre-Rios, na Argentina, e após vários meses de marcha, acamparam em frente ao forte de Itapuru.
 
Na batalha de Tuiuti, no dia 24 de maio, lutou como um leão, sendo agraciado com a “Condecoração da Ordem de Cristo”. Nos combates de 16 e 18 de julho, continuou a série de bravuras, recebendo o “Hábito da Rosa”. Em Curuzu e no combate de Curupaiti, recebeu mais elogios por seu comportamento guerreiro. Já promovido a Capitão, Israel foi gravemente ferido em 30 de novembro. Recuperado, voltou ao campo de batalha, tomando parte no combate de Humaitá, onde foi novamente ferido, mas com menos gravidade. Lutou em Itororó, Avaí, Lomas Valentinas, e por feitos perigosos em Itaguari, recebeu a medalha de mérito.
 
Em 12 de setembro de 1868, foi escolhido para comandar uma equipe no ataque ao Forte de Peribibui. Israel foi o primeiro a escalar o muro de pedra do forte. Após o combate, estava ferido na cabeça. Por essa batalha, recebeu a “Ordem do Cruzeiro” e foi nomeado Comandante. Após a guerra, foi condecorado com a “Cruz de Bronze da Campanha” e com as medalhas de Campanha pela repúblicas Argentina e Oriental. Durante a inauguração da estátua de Osório, foi promovido a tenente-coronel.
 
E assim, Israel Bezerra de Menezes, o primeiro voluntário cearense da Guerra do Paraguai, lutou de 06 de abril de 1865 a 30 de abril de 1870, demonstrando toda a força  e bravura que tem o povo cearense.
 
Fonte: Coisas que o tempo levou, Raimundo de Menezes.
Jaqueline Aragão Cordeiro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*