Decifrando o Cearês

Música de cearense – Mucuripe

Veja lindas musicas compostas e interpretadas por cantores cearenses. Música: Mucuripe – Fagner e Belchior Jaqueline Aragão Cordeiro

José do Patrocínio

José Carlos do Patrocínio, mais conhecido como José do Patrocínio, nasceu em Campos, RJ, em 9 de outubro de 1853, e faleceu no Rio de Janeiro, RJ, em 29 de janeiro de 1905. Foi jornalista, orador, poeta e romancista,. Compareceu às sessões preparatórias da instalação da Academia Brasileira de Letras e fundou a cadeira nº 21, que tem como patrono Joaquim Serra. Era filho natural do Padre João Carlos Monteiro, vigário da paróquia e orador sacro de grande fama na capela imperial, e de “tia” Justina, quitandeira. Passou a infância na fazenda paterna da Lagoa de Cima, onde pôde observar, Continue lendo José do Patrocínio

Tempos de seca

 

Decifrando o Cearês

Henriqueta Galeno

Henriqueta Galeno nasceu em Fortaleza em 23 de fevereiro de 1887. Era filha de Juvenal Galeno da Costa e Silva e de Maria do Carmo Cabral Galeno. Faleceu em Fortaleza no dia 10 de setembro de 1964. Fez os seus estudos no Colégio da Imaculada Conceição e no Liceu do Ceará, diplomando-se em Direito (1918). Em 1919 fundou e dirigiu o Salão Juvenal Galeno, que em 1936 passou a se chamar Casa Juvenal Galeno. Sob sua orientação, foi o principal centro de desenvolvimento cultural do Ceará; ali foram criados e instalados o Centro de Estudos Juvenal Galeno, a Ala Feminina Continue lendo Henriqueta Galeno

Sou cabra da peste – Patativa do Assaré

Nessa poesia de Patativa, reproduzimos fielmente a escrita, respeitando o linguajar do poeta. Eu sou da terra que o povo padece Mas nunca esmorece procura vencê Da terra adorada, que a bela cabôca De riso na boca zomba do sofrê. Não nego meu sangue, não nego meu nome Olho pra fome e pergunto: o que há? Eu sou brasilêro, fio do Nordeste Sou cabra da peste, sou do Ceará. Tem munta beleza minha terra boa, Derne o vale à serra, da terra ao sertão. Por ela eu me acabo, dou a prope vida, É terra querida do meu coração. Meu Continue lendo Sou cabra da peste – Patativa do Assaré

Inauguração do Cine São Luis em 1958

A construção foi iniciada em 1939 pelo Grupo Severiano Ribeiro, e em 1958, a edificação foi concluída e inaugurada. Sua primeira sessão foi em 26 de Março, com a exibição do filme Anastácia, a princesa esquecida, e a renda foi revertida em benefício da Campanha de Benfeitores da Santa Casa de Misericórdia de Fortaleza e do Asilo do Bom Pastor. Estiveram presentes à solenidade as autoridades locais e o Senhor Luiz Severiano Ribeiro, idealizador e proprietário do Cinema São Luiz. A programação ainda se estendeu por um mês, tendo projeção de filmes diariamente. Jaqueline Aragão Cordeiro

Motivos para amar o Ceará

Decifrando o Cearês

Jaqueline Aragão Cordeiro